Mostrando postagens com marcador bicicletas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador bicicletas. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Dicas para levar bicicleta no transbike sem tomar multa

Carro com duas bicicletas no transbike de porta-malas e régua de sinalização


Volta e meia as pessoas têm dúvidas sobre como levar a bicicleta no teto do carro ou na tampa do porta-malas. É que existe a possibilidade de tomar multas caso você não siga algumas determinações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Pensando nisso, o blog Foto e Bike traz algumas dicas que vão te ajudar.

Os primeiros pontos que o ciclista deve observar quando vai transportar sua bicicleta no carro têm relação com a questão da segurança: da bike, dos outros e a sua própria. Isso vale tanto para quem vai levar a bicicleta no teto quanto para aqueles que transportarão no transbike da tampa do porta-malas do carro. 

E é isso que o Contran estabelece na resolução 349/2010 com "critérios para o transporte eventual de cargas e de bicicletas nos veículos classificados na espécie automóvel, caminhonete, camioneta e utilitário" (cf. Art. 1º).

Então, respondendo a uma pergunta que muitas vezes surge: sim, você pode transportar bicicletas no teto ou na tampa do porta-malas do seu carro. Mas não é só amarrar ela lá e achar que está tudo certo. Existem regras e acredite: pode ser difícil levar multa por não cumpri-las, mas é melhor seguir do que perder dinheiro.

Como carregar bicicleta em transbike de porta-malas


Os transbike para porta-malas são os mais procurados por quem quer levar as bicicleta no carro. Em contrapartida, ele é o que tem mais regrinhas para serem seguidas e é o vilão da história. 

O artigo 3º da resolução 349 do Contran é quem explica sobre como transportar a bicicleta no transbike de porta-malas do carro de maneira segura e sem infringir as regras de trânsito. 

Carro com três bicicletas no transbike de porta-malas com régua de sinalização
Transbikes de porta-malas são cheios de regras para uso - Foto: SaiKrishna Saketh Yellapragada_Unsplash

Analisando esse artigo do Contran é possível encontrar as 5 formas de como as bicicletas NÃO devem estar nos transbikes de porta-malas. Confira item por item da lista abaixo e sempre fique atento a isso.

1. Não coloque em perigo as pessoas nem cause danos a propriedades públicas ou privadas

2. Não se arraste pela via nem caia sobre esta

3. Não provoque ruído nem poeira

4. Não oculte as luzes, incluídas as luzes de freio, setas e os dispositivos refletores

5. Não exceda a largura máxima do veículo

Se você transportar sua bicicleta em transbike para porta-malas em qualquer uma das situações listadas acima (ou em todas as situações acima) saiba que estará indo contra o Código de Trânsito Brasileiro e cometendo infrações graves e gravíssimas que podem te dar um presente: multas que variam de R$ 190,00 a R$ 290,00 e ainda pode ter retenção do veículo.

A bicicleta não pode tampar a placa do carro


Além dos itens listados acima, se a bicicleta no transbike de porta-malas estiver obstruindo de forma total ou parcial a placa do carro você está cometendo uma infração e pode levar multa. O artigo 4º do Contran fala sobre isso e também dá orientações sobre como fazer (obs.: fica com a gente que vamos te explicar o que fazer nesse tipo de situação, é só seguir o texto).

Como transportar a bicicleta no carro sem levar multa


Como dito acima, mesmo que os transbike para porta-malas sejam os mais procurados por quem vai levar bicicletas no carro (por conta do custo e outros fatores), eles são os que mais têm regras para serem seguidas por quem não quer correr risco de levar multas. 

Sendo assim, a melhor solução para quem quer levar as bikes no carro seria a aquisição de um suporte de bicicletas para instalar no teto, pois as regras para transporte nessa condição são mais simples e o investimento pode valer apena (cada caso é um caso). 

Carro com duas bicicletas no transbike de teto
Levar bicicletas no transbike de teto pode ser a melhor solução - Foto: Davi Corrêa


Para ter uma ideia de como as regras são mais simples para o transporte de bicicleta no teto de carros, o Contran vai dizer que, sendo transportadas nessa condição, as bicicletas não devem se sobressair ou se projetar para além do veículo pela frente (cf. Art. 3º, VIII).

Mas, como cada caso é um caso, se você não tiver condição de adquirir um transbike de teto no momento, compre um para utilizar no porta-malas visto que na maioria das vezes, são mais viáveis para compra. Então, se você optar por transportar sua bicicleta em um desses, lembre de nunca transportar a bicicleta das formas que foram listadas anteriormente aqui e tenha em mente os seguintes pontos para não levar multas.

1. Veja se a bicicleta vai exceder a largura do carro

Se quando instalar a bicicleta no transbike do porta-malas ela exceder a largura do carro (contando os retrovisores) é melhor você não sair pelas ruas nessa condição, pois cabe multa aí e é infração de trânsito. Uma dica que pode ajudar é tentar retirar uma das rodas ou as duas e veja se a situação fica adequada. Se ainda assim não resolver, a dica é: não arrisque.

2. Cuide para não encobrir placa e luzes de sinalização

Aqui não vale tentar se enganar dizendo que dá para ver as luzes pelos raios da roda da bicicleta. Quando o Contran diz encobrir está querendo dizer que não pode encobrir nem parcialmente nem totalmente. O mesmo vale para a placa: é proibido o encobrimento total ou parcial.

Para corrigir essa situação você deve comprar uma régua de sinalização e uma segunda placa traseira de identificação. Essa régua tem medidas específicas e características próprias e a segunda placa tem que ser de modelo oficial estabelecido pelo CTB, ou seja: vai ter que pagar o Documento Único de Arrecadação, o famoso DUDA.

Agora é só escolher a melhor opção


É isso e não tem jeito! As regras foram criadas e estão aí. Agora que você já tem as dicas de como transportar sua bicicleta no transbike seja de teto ou de porta-malas sem levar multas, basta escolher qual produto te atenderá melhor, colocar a bike nele e ir até o ponto onde quer começar a pedalar.

Foto de destaque: gmeurope / sob licença CC BY-NC-ND 2.0
Leia mais...

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Escola Park Tool lança curso de Bike Fit para capacitar novos profissionais

Curso de Bike Fit da Escola Park Tool - Foto: Divulgação


Com o objetivo de capacitar novas pessoas para prestar serviços no mercado de bicicletas, que está em constante crescimento, a Escola Parkt Tool está com vagas para o curso de Bike Fit aberta para.

Com um constante crescimento no número de usuários de bicicleta Brasil e no mundo, o Bike Fit é um serviço essencial que consiste em ajustar a bicicleta para o ciclista, considerando suas medidas, capacidades e demandas, deixando o equipamento perfeito e exclusivo para o seu uso. 

Esse serviço vem ganhando muita popularidade devido a sua eficácia e é indicado para qualquer tipo de ciclista, desde os mais iniciantes, até competidores profissionais.

"Para tudo isso se tornar viável, nós fizemos uma parceria com a Bike Fit Up, uma empresa que desenvolveu um sistema extremamente barato e funcional, se destacando em relação aos demais sistemas do mercado", afirma a Escola Park Tool.

"Vale ressaltar que não é necessário ter uma formação em educação física, fisioterapia ou algo do tipo. Qualquer um, com um treinamento adequado, pode se tornar um fitter", desta a Escola Park Tool.

De acordo com a instituição, "ao término do curso o aluno recebe um certificado de conclusão, entra em nosso mapa de alunos formados e leva para casa diversas ferramentas, para já sair do curso apto para trabalhar; como guia de pés, régua de parede adesivada, banqueta, estadiômetro, marcadores refletivos, nível a laser e muito mais".

Mais informações sobre o curso de Bike Fit da Escola Park Took você encontra clicando aqui.

Foto: Divulgação / Escola Park Took
Leia mais...

quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Nova E-MTB da Oggi, Big Wheel 8.3 2022 chega com geometria para trilhas mais técnicas



Fabricante brasileira com a maior linha de bicicletas elétricas do país, a Oggi Bikes começa o ano com a Oggi Big Wheel 8.3 2022. A nova E-MTB da marca chega com nova geometria mais moderna e permite que a bike seja utilizada em pedais mais técnicos.

A Oggi Big Wheel 8.3 2022 está equipada com uma caixa de direção mais relaxada e alguns centímetros a mais no tubo superior. Com isso, a nova bicicleta elétrica ganha uma pegada para quem gosta de um cross-country mais agressivo, com curvas, buracos e desafios de todos os tamanhos.

Trata-se da bike ideal para quem quer encarar trilhas a sério, com a força adicional do motor para acompanhar outros ciclistas, ou mesmo para ampliar o tempo e as possibilidades de suas pedaladas. 

A Big Wheel 8.3 2022 é montada ao redor de um quadro de alumínio 6061 com bateria no tubo inferior, cabeamento interno, espaçamento boost com eixo passante e caixa de direção cônica, com componentes de nível intermediário, ideais para quem quer qualidade e desempenho, sem dores de cabeça.

Seguro grátis e dois anos de garantia do quadro


Assim como outras bicicletas da Oggi, a Bike Wheel 8.3 2022 já vem com seguro grátis de um ano, garantia de 2 anos para o quadro, 3 meses para componentes e 6 meses para pintura. A bike está disponível nos tamanhos 15.5, 17 e 19 polegadas, e em duas opções de cores. 

Nova geometria para XC e Trail


Com trilhas e circuitos ficando cada vez mais desafiadores nos últimos anos, o mountain biking vem passando por uma verdadeira revolução. Por isso, assim como outras bicicletas da Oggi, como a nova Big Wheel 7.6 2022 e a Big Wheel 7.2 2022, a Big Wheel 8.3 também teve sua geometria totalmente revisada, para ganhar uma dose extra de controle em situações mais extremas.

Oggi Big Wheel 8.3 2022 tem nova geometria


O detalhe mais importante é a nova caixa de direção, que saiu de 71 para 68 graus de inclinação. Com isso, a bike fica mais estável em descidas inclinadas, velocidades elevadas e degraus mais altos. Além disso, a suspensão ganha capacidade de absorção de impactos, deixando a pedalada mais confortável. 

A bike ainda teve sua porção dianteira bastante alongada pela equipe de desenvolvimento da Oggi. No tamanho 17, por exemplo, o alcance (reach) foi de 395 mm para 435 mm. Com isso, o piloto fica mais centralizado entre os eixos, o que melhora a distribuição de peso e o controle em trilhas mais desafiadoras. 

Ainda seguindo outra tendência importante, o tubo do selim da nova bicicleta elétrica da Oggi ficou mais em pé, saindo de 73 para 74.5 graus. Pode parecer pouco, mas a mudança significa que o piloto da Big Wheel 8.3 2022 fica melhor posicionado para encarar subidas inclinadas e desafiadoras - uma verdadeira fonte de diversão quando você tem a potência de um motor elétrico para ajudar.

Big Wheel 8.3 2022 tem componentes precisos e confiáveis


Conforme informações da Oggi, para que ciclistas de todos os níveis possam encarar trilhas variadas, a Big Wheel 8.3 2022 aposta no sistema elétrico Shimano Steps E7000, que tem um motor capaz de oferecer 250 watts de potência nominal, com até 60 Nm de torque.



Usando sensores avançados para detectar a força da pedalada do ciclista, o funcionamento do motor é super natural, com a assistência podendo ser configurada em três níveis: Eco, Trail e Boost. Todo o sistema pode ser ajustado ao gosto do ciclista através do aplicativo E-Tube da Shimano. 

Com capacidade de carga de 418 Wh, a bateria oferece uma autonomia de até 81Km, e todos os aspectos da pedalada podem ser monitorados por meio de um display de controle instalado no guidão da bike. 

Além disso, a Big Wheel 8.3 2022 aposta na transmissão Shimano Deore M5100 de 11 velocidades, para criar uma combinação perfeita entre desempenho, durabilidade e custo mais acessível de manutenção.



O grupo conta com um cassete 11-51 de grande amplitude, que permite encarar trechos planos, descidas e subidas extremamente desafiadoras com total competência, tudo para dar aquela turbinada no nível e na duração de sua diversão.

Para absorver os impactos, ela conta com uma suspensão dianteira Rock Shox Recon Silver RL com 100mm de curso, hastes de 32mm de diâmetro, trava remota, mola pneumática Solo Air e controle hidráulico de retorno. Com eixo boost de 110mm de comprimento e 15mm de diâmetro e espiga cônica, ela oferece o controle e a rigidez lateral que fazem toda a diferença em uma elétrica. 

As rodas são montadas com cubos Shimano, raios de inox e aros Alexrims de 25mm de largura interna, calçando pneus Kenda Booster Pro Tubeless Race com 2.4’’ de largura e grande volume de ar, o que melhora o conforto, a tração e a velocidade de rodagem.

As frenagens ficam garantidas pelo conjunto Shimano BR-MT 410, com disco de 180mm na frente e 160mm atrás, e ela vem montada com cockpit feitos em alumínio, com o selim e as manoplas sendo feitos pela Velo.

Mini ficha técnica da Oggi Big Wheel 8.3 2022




Quadro: Alumínio 6061 T6 tratado com suporte da bateria ao tubo inferior com rota interna dos cabos
Grupo: Shimano Deore 11 velocidades
Suspensão: RockShox Recon Silver RL 29 Solo Air tapered - curso de 100 mm (boost)
Motor Central: Shimano E7000 / 250W / 60Nm
Rodas: Cubos Shimano MT 400B com aros Alexrims MD 25
Pneus: Pneu Kenda Booster 29x2,40 kevlar
Pedais: MTB-Plataforma
Preço Mínimo Sugerido: R$ 20.480,00

Fotos: Divulgação / Oggi Bikes
Leia mais...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

Anunciante que tentava aplicar golpes com venda de bicicletas é removido da Shopee



Um anunciante que estava presente no marketplace da Shopee desde o início do ano teve sua loja removida da plataforma na manhã de hoje, 10 de janeiro. O suposto vendedor oferecia bicicletas com valor muito abaixo do praticado no mercado e condições de pagamento fora dos padrões do site.

O 'ofertas_semanal' (Inports___variados) apresentava diferentes marcas de bicicletas em seu catálogo na Shopee, com bikes da Caloi, Gios, KSW, GTSM1 entre outras em seu portfolio. O anunciante supostamente também vendia itens para celulares, camping, decoração, fitnes e carros.

Tirando o erro de português no nome da loja, até aí estava tudo bonito. O problema eram os preços das bicicletas. Por exemplo, você não vai encontrar uma Caloi E-Vibe City Tour nova por menos de 10 mil reais em lojas e anunciantes sérios. Mas eles tinham um anúncio dizendo que vendiam por 2 mil.

A loja ainda exibia dois anúncios de bicicletas da GTSM1 full suspension da série RAV, linha de bicicletas desenvolvidas em parceria com o multicampeão de MTB, Márcio Ravelli. No site oficial da fabricante, o preço das RAV circula entre 20 mil e 49 mil reais, dependendo das configurações, mas com a loja golpista você poderia pagar entre 4 e 5 mil reais.

Ciclistas denunciaram a loja ao Shopee


A notícia de que esse anunciante estava tentando aplicar golpes na Shopee circulou em vários grupos no WhatsApp e diversos ciclistas e outros consumidores denunciaram a loja a Shopee. Como resultado, na manhã desta segunda-feira (10 de janeiro) a loja foi retirada do ar e os produtos estão sendo removidos da plataforma.

Como o número de ciclistas vem aumentando, anúncios como os dessa loja que estava presente no marketplace da Shopee podem saltar aos olhos e, caso o interessado não tenha noção dos valores praticados, pode acabar sendo enganado. Mesmo as bicicletas de valor mais baixo estavam com os preços muito atrativos nesse anunciante.

Fora os preços baixos, a prática do anunciante 'ofertas_semanal' (Inports___variados) estava fora do recomendado pela Shopee, pois na descrição dos anúncios eles afirmavam ter ainda mais desconto para pagamento via Pix ou boleto.

O que diz a Shopee


A Shopee pede que os usuários realizem todas as transações dentro da plataforma e pede aos compradores que fiquem atentos "a qualquer pessoa que lhe peça para realizar pagamentos sem passar pela página de finalização da compra".

Ainda no aplicativo da Shopee é possível denunciar a loja à plataforma, sinalizando a eles a tentativa de golpe para que tomem as devidas providencias.

O que pode ser feito?


Se você caiu em algum tipo de golpe semelhante, procure uma delegacia de polícia para fazer o registro de ocorrência. Caso não tenha sido lesado, denuncie à plataforma para que medidas possam ser tomadas.

Foto: Captura de imagem
Leia mais...

quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

Governo brasileiro zera imposto de importação de quatro componentes de bicicleta

Peças de bicicleta terão imposto zero - Foto: Shimano / Divulgação


O Ministério da Economia zerou temporariamente a alíquota do imposto de importação de quatro componentes de bicicletas. A decisão foi tomada através do comitê-executivo de Gestão da CAMEX (GECEX) durante a última reunião de 2021.

A medida precisa ser aprovada pelos demais países membros do Mercusul e, após isso, terá validade de 365 com possibilidade de extensão.

Os quatro componentes de bicicleta que terão a alíquota do imposto de importação reduzidas para 0% são: freios, quadros de fibra de carbono, quadros de cromo-molibdênio e correntes.

Em fevereiro de 2021, o governo federal havia publicado a resolução 159 que reduzia o imposto de importação de bicicletas, mas a medida foi revogada por conta de pressão dos senadores da bancada do Amazonas. Agora, com a nova decisão a redução do imposto chega para os componentes.

Confira na tabela abaixo o que foi aprovado pelo GECEX e as quantidades.

Tabela de redução de impostos


Os pleitos foram apresentados pela Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike) ao longo do ano de 2021 e estão enquadrados como casos de desabastecimento, de acordo com a Resolução GMC Nº 49/19 do Mercosul. A medida foi criada para ajustar desequilíbrios entre oferta e demanda de produtos específicos.

A redução do imposto de importação trará benefícios para todo o mercado de bicicletas e, principalmente, para ciclistas, pois os produtos poderão ficar mais acessíveis. Em tempos de preços elevados por conta da desvalorização do real perante o dólar, do custo do frete marítimo e dos reajustes nas matérias primas, uma redução de impostos é uma notícia importante para todos os amantes da cultura da bicicleta.

Foto: Shimano / Divulgação
Com informações de https://aliancabike.org.br
Leia mais...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Pode andar de bicicleta na Via Lagos?

Bicicleta pode circular na Via Lagos? - Foto: Oficina Bike Lagos


Um leitor do blog Foto e Bike enviou mensagem perguntando se pode andar de bicicleta na Via Lagos. Fomos atrás da resposta e fizemos contato com a CCR ViaLagos, concessionária que administra a rodovia estadual do Rio de Janeiro que percorre a Região dos Lagos.

Aqui no blog Foto e Bike já abordamos esse tema, mas, dessa vez o leitor trouxe a questão específica da Via Lagos. Então, vamos direto ao ponto!

É permitido circular de bicicleta na Via Lagos?


Antes de citar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), vamos diretamente ao que disse a CCR ViaLagos. Após contato com a concessionária que administra a rodovia, foi informado que "é permitida a circulação de bicicletas, mas não indicamos por conta do grande número de carros e da velocidade deles".

A solicitação para informações foi feita pelo formulário localizado no site da CCR ViaLagos e o retorno da concessionária foi feito por telefone.

Também perguntamos se bicicletas precisam pagar pedágio na Via Lagos. Para essa questão, a CCR disse que não e orientou que os ciclistas devem passar pela lateral ao chegar na praça de pedágio.

O que diz o Código de Trânsito Brasileiro


Como informado, fizemos uma publicação que trata desse tema aqui no blog Foto e Bike. Nela, pontuamos que o artigo 58 do CTB vai dizer que a circulação de bicicletas, seja em vias urbanas ou rurais de pista dupla "deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores".

Logo, a resposta da CCR ViaLagos é condizente com aquilo que diz o CTB e ainda vale ressaltar que a concessionária afirmou que toda a extensão da Via Lagos conta com acostamento.

Por fim, se está querendo pedalar pela Via Lagos saiba que pode ir tranquilo, mas sempre atento e com a máxima cautelo porque a via é muito movimentada.

Foto: Oficina Bike Lagos
Leia mais...

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Grupo formado por Sense Bike e Swift Carbon espera dobrar produção de bicicletas em 2022

Com nova fábrica em Manaus, S2 pretende dobrar produção em 2022 - Foto: Gustavo Lovalho / Divulgação


A S2 Indústria da Bicicleta espera dobrar a produção no próximo ano com sua nova fábrica em Manaus. Nascida em 2018 da união entre a Sense Bike, fabricante nacional de bicicletas, e da Swift Carbon, marca Sul-Africana especializada em fibra de carbono, a S2 tem como um de seus principais objetivos elevar o patamar do cenário e do mercado de bicicletas no Brasil e no mundo.

Agora, com a inauguração de sua segunda fábrica em Manaus, no Amazonas, o grupo promete dar mais um salto em diversos quesitos como volume de produção, geração de empregos e implementação de novas tecnologias de produção. E a meta é audaciosa: objetivo é de quadruplicar produção nos anos seguintes a 2022.

Em uma ampliação que vem acontecendo há cerca de dois anos de trabalho contínuo, a S2 Indústria da Bicicleta agora conta com mais de 10 mil metros quadrados voltados à fabricação e montagem de bicicletas e componentes em Manaus. 
 
Com isso, o fabricante passa a fabricar quadros em alumínio e montar bicicletas completas para as marcas Sense Bike e Swift Carbon. E também ganha capacidade na produção de rodas de alumínio e de fibra de carbono, a segunda de forma inédita na América Latina.

"Na Fábrica 1, que tem 4500 metros quadrados, serão produzidos os quadros da Sense Bike e da Swift Carbon em alumínio. A Fábrica 2 ficará com a montagem de rodas e bicicletas completas de ambas as marcas", explicou Pierre de Tarde, Gerente de Produtos S2 Indústria da Bicicleta.

Nova fábrica da S2 - Foto: Gustavo Lovalho / Divulgação
Nova fábrica da S2 - Foto: Gustavo Lovalho / Divulgação


"Com a ampliação e a nova fábrica, podemos chegar a quadruplicar nossa capacidade produtiva, e já a partir de 2022, vamos dobrar nossa produção", complementou. 

Além do espaço físico adicional, as novas fábricas vão contar com dois importantes reforços: a ampliação da força de trabalho e a adoção de novas máquinas e processos produtivos de última geração, algumas inclusive inéditas no continente americano.  

"Com as novas fábricas e com todas as ampliações, estimamos um crescimento de mais de 40% no número de funcionários contratados", explicou Joel Silva, Gerente de Fabril S2 Indústria da Bicicleta.

Além disso, a adoção de técnicas avançadas de produção irá elevar a qualidade dos produtos da S2 Indústria da Bicicleta a um novo patamar. 

"Na Fábrica 1, temos um novo laboratório de certificação de qualidade, inclusive com novas máquinas para testar os quadros. Na Fábrica 2, temos uma linha de montagem aérea inédita no país, dedicada para as bikes mais avançadas. Temos também dois novos robôs de última geração para a montagem das rodas. Trata-se de um robô inédito na América Latina para a montagem de rodas de carbono", exemplificou Pierre de Tarde.  

"São tecnologias disponíveis somente na Ásia, que domina a produção mundial de bikes, e na Europa. Por isso somos referência para estas máquinas no Brasil. Além disso, nossa linha de pintura com tecnologia italiana é referência em pinturas eletrostáticas no mundo inteiro", reforçou Joel Silva.

Maior qualidade e mais disponibilidade para o consumidor


Com certeza, quem mais se beneficia com a nova fábrica da S2 Indústria da Bicicleta em Manaus é o consumidor, que sai ganhando com mais bicicletas no mercado, sendo produzidas com cada vez mais qualidade e variedade - uma das marcas registradas da Sense Bike e da Swift Carbon. 

"Com as duas novas fábricas, estamos colocando o Brasil no mesmo patamar da Europa e dos Estados Unidos em níveis industriais, o que proporciona maior disponibilidade de bicicletas para o mercado, com um mix de produto extenso, e uma qualidade de padrão internacional", explicou Pierre de Tarde.  

Pessoal da fábrica da S2 - Foto: Gustavo Lovalho / Divulgação


Com a novidade, a S2 Indústria da Bicicleta segue sua trajetória de inovação e elevação de patamar, algo que acompanha a empresa não só no mundo industrial, mas também no estímulo ao esporte com projetos como a S2 Sports, apoio oficial à atletas de MTB, Estrada, Enduro e Triatlhon, e trabalhos como o Sense Trails e o Pump Track Sense Grom Zone, que estimulam a cultura da bike no Brasil. 

"A S2, com a Sense e a Swift Carbon, conseguiu na sua maior força a capacidade de interação e incentivo ao ciclismo, e de impacto social. Além dos produtos, que são desejados, temos essa capacidade de interação com quem realmente usa nossos produtos, e essa será a maior contribuição da S2 com o ciclismo, a nível global. Nós sempre estaremos puxando o mercado, e estimulando as demais marcas a fazer o mesmo", comentou Henrique Ribeiro CEO da S2 Indústria da Bicicleta. 

"O Brasil, que é nossa pátria mãe, temos o compromisso de ampliar nossa presença e o nosso incentivo ao mundo da bike, de norte a sul, e de leste a oeste", finalizou Henrique.

Fotos: Gustavo Lovalho / Divulgação
Leia mais...

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

KTM Bikes Brasil lança loja virtual na plataforma do Semexe

Marca austríaca, representada no Brasil pela 2W Motors, fechou parceria com o principal marketplace de ciclismo do país

KTM bikes está com loja virtual na plataforma do Semexe - Foto: Divulgação


Os fãs da KTM Bikes agora poderão contar com mais um local para a compra das bicicletas da marca. O Grupo 2W Motors, representante da marca austríaca no Brasil, fechou parceria com o principal marketplace de ciclismo do país, a Semexe. A loja virtual da KTM agora está disponível na plataforma online referência na compra e venda de bikes no  www.semexe.com/loja-ktm.

Isso tudo acontece três meses após o Grupo 2W Motors ter feito o anúncio de que é o importador oficial da KTM Bikes no Brasil. Agora, além das bicicletas já disponíveis no showroom do grupo, as bikes passam a estar também presentes nas vendas online.

“Nossa intenção é oferecer mais um canal de e-commerce aos apaixonados pela marca com 57 anos de tradição e também aos adeptos do ciclismo, sejam iniciantes ou atletas de alta performance. E encontramos na Semexe a parceira perfeita para venda de nossos produtos de uma forma segura e com expertise de comercialização que precisamos”, afirma Raul Fernandes Jr, um dos sócios do Grupo 2W Motors.

Os adeptos do estilo de vida do pedal podem encontrar na Semexe as linhas urban, road, mountain e kids da KTM Bikes. Entre os modelos estão: Wild Buddy 12, Chicago Disk 292, Chicago Disk 291, Ultra Sport 29, Scarp MT Exonic, Revelator Alto Elite, Revelator Alto Pro e a cobiçada Revelator Alto Master (réplica usada no Tour de France – maior corrida de ciclismo de mundo que acontece na França).

Um ano antes da pandemia e do boom de vendas de bicicletas em 2020, os irmãos Raul e Maurício Fernandes, empresários que representam marcas premium do mercado mundial de motocicletas, como a Husqvarna Motorcycles e as lojas da Royal Enfield, na capital paulista, decidiram apostar também no segmento de bikes, mas sempre estiveram ligados à questão da mobilidade urbana.

Considerada a principal startup do ciclismo no país, a Semexe é uma moderna plataforma de navegação fácil e segura que trabalha com marcas de ponta e oferece acessórios de qualidade aos ciclistas. Para o Rodrigo Afonso, gerente de parcerias, a Semexe está sempre à frente trazendo as melhores marcas e produtos para seus clientes. “Estamos felizes em lançar a loja oficial desta tradicional marca austríaca que conhece muito bem o público que anda com duas rodas, seja ele do motocross ou da bicicleta. Certamente a parceria renderá bons frutos. A KTM Bikes vem atender diversos públicos, desde o ciclista que deseja uma MTB, com excelente componentes e quadro de alumínio com custo mais acessível, até o mais exigente atleta que busca performance e quer exclusividade com uma bike do nível do Tour de France”, explica.

A chegada da KTM Bikes Brasil a Semexe é mais uma ação do grupo, que logo mais irá levar outra marca para o site. “Somos também importadores oficiais da Fantic e-bikes no Brasil e, em breve, toda a linha que comercializamos da marca italiana estará disponível também na plataforma”, finaliza Raul.

Foto: Divulgação
Leia mais...

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Redução da carga tributária de bicicletas vira projeto de lei no Brasil



A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) transformou em projeto de lei a sugestão legislativa que pede a redução da carga tributária da cadeia produtiva de bicicletas no Brasil. A aprovação aconteceu nesta segunda-feira, 13 de setembro, e começará a tramitar pela CDH assim que receber o número de projeto.

A sugestão legislativa SG 21/2020 foi apresentada pelo internauta André Fraga em 2 de junho de 2020 e recebeu mais de 20 mil assinaturas de apoio em cerca de quatro meses. O senador Paulo Paim (PT-RS) foi o relator e deu parecer favorável à sugestão.

Como justificativa para sugestão legislativa, André Fraga ressaltou que os impostos sobre as bicicletas não incentivam à compra e impedem lojas e industrias de crescerem.

"Enquanto nos países que incentivam a bicicleta, lojas e indústrias crescem, no Brasil, metade das lojas tiveram queda no faturamento, igual ou superior a 50%. Estima-se que a desoneração tributária para o setor representaria incremento de 14% apenas sobre o consumo de bicicletas, sem contar nos benefícios em cascata da economia de rede", argumentou André.

Em fevereiro de 2021 chegou a ser publicada no Diário Oficial da União a redução do imposto de importação de bicicletas, mas em março do mesmo ano a medida foi revogada.

Reduzir os impostos favorece o uso da bicicleta


Em seu parecer, o senador Paulo Paim reconheceu que "é inegável a importância de fomentar o uso de bicicletas no País em linha com o que defendido na Ideia Legislativa sob análise desta Comissão".

Paim citou o estudo Análise Econômica do Setor de Bicicletas e suas Regras Tributárias, encomendado pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) à Tendências Consultoria Integrada, em 2013. O estudo traz as principais características do setor e evidencia como a redução da carga tributária pode proporcionar benefícios aos consumidores, fabricantes, distribuidores e ao governo.

O estudo também destaca a cidade de Bogotá, na Colômbia, que passa por uma ampla reformulação do transporte público desde o final da década de 1990 e percebe o aumento do uso de bicicletas e as políticas de desestímulo ao uso de automóvel. O trabalho também ressalta que no Brasil as condições para o uso de bicicletas não são favoráveis devido aos preços elevados – em grande parte por conta da alta carga tributária – e pouca infraestrutura cicloviária.

"Esses exemplos revelam a importância de se avançar nesse setor no Brasil, de sorte a colher esses benefícios que o estímulo às bicicletas acarreta a toda população", afirmou o senador Paulo Paim. 

"Com esse propósito, a Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike) lançou um conjunto de 10 propostas, que incluem, entre outras, a ampliação da rede de ciclovias, a criação de linha de crédito para financiar a aquisição de bicicletas, a implementação de um programa nacional de fortalecimento da economia verde e a redução da carga tributária sobre as bicicletas", disse o senador.

Paim também reconheceu a alta carga tributária sobre as bicicletas e que o Congresso Nacional deve atuar para "incentivar a aquisição de bicicletas por meio da desoneração de parte dos tributos incidente sobre a cadeia produtiva". O senador ainda defendeu a redução que a redução dos impostos atinja não só as bicicletas convencionais, mas também as elétricas. "É inegável que, como meio de transporte, a bicicleta elétrica, inclusive para fins de mobilidade urbana, pode e deve ter sua entrada no País e produção incentivados".

À Agência Senado, o presidente da CDH, senador Humberto Costa (PT-PE), afirmou que a medida poderá incentivar o uso de bicicletas, ajudando a diminuir a poluição ao mesmo tempo que alavanca o uso de veículo barato e que faz bem à saúde do usuário.
Leia mais...

sábado, 11 de setembro de 2021

Tembici vai aumentar número de bikes com financiamento do Santander



O Santander Brasil e a Tembici fecharam uma linha de financiamento ver de R$ 29 milhões. A informação foi confirmada pelo banco no dia 29 de setembro e a ação vai viabilizar a expansão das operações da startup de mobilidade elevando em mil o número de bicicletas de seu sistema, sendo 500 para Brasília, até o final deste ano.

Trata-se da primeira operação de crédito verde (ESG Linked Loan) feita pelo Banco para uma empresa brasileira do setor. As concessões de empréstimos verdes pelo Santander condicionam desconto nos juros à medida que a empresa comprova a melhora de indicadores ESG pré-definidos. Além das novas bikes da Tembici, a capital federal receberá 70 novas estações.

"Os negócios verdes crescerão exponencialmente nos próximos anos. Atrelar metas socioambientais às operações de crédito com benefício para o cliente é uma forma de estimular o mercado na adoção das melhores práticas, fortalecendo negócios mais preparados para uma economia limpa e mais inclusiva", avalia Carolina Learth, responsável pela área de Sustentabilidade do Santander Brasil.

Com base sustentável, a Tembici busca neutralizar as emissões de CO2 de sua operação. Somente em 2020, foram economizadas mais de 4 mil toneladas de gás carbônico. Se emitido, o gás somente seria neutralizado com o plantio de aproximadamente 30 mil árvores. Ao final das pedaladas, os usuários da plataforma têm acesso ao número de calorias gastas e CO2 economizado.

Já o Santander tem investido na melhoria da infraestrutura para ciclistas. Em maio deste ano, o Banco anunciou o incentivo ao esporte tendo como representante o biker Henrique Avancini. Entre as novidades, estão uma linha de financiamento exclusiva para compra de bicicletas e peças, e oferta de seguro com cobertura para acidentes pessoais e apólices de vida. Além disso, casos de roubo ou furto foram incluídos nos planos de seguro residencial.

Foto: Santander / Divulgação
Leia mais...

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Loja Visual Bike é assaltada em Moema (SP) e fica com prejuízo milionário

Visual Bike de Moema foi assaltada durante feriadão de 7 de setembro - Foto: Visual Bike (Ipiranga) / Top Tour Virtual


A Visual Bike situada em Moema (SP) foi invadida e assaltada durante o feriadão de 7 de setembro. Os assaltantes levaram mais de 50 modelos top de linha da loja que é representante da Trek, causando prejuízo milionário ao estabelecimento.

Em áudio compartilhado no WhatsApp, uma mulher chamada Nanda que se identifica como funcionária da Visual Bike relata ter encontrado a porta arrebentada ao chegar para trabalhar no dia 8 de setembro.

"Levaram todas as bikes. Para não falar que levaram tudo, sobraram seis bikes", conta Nanda que ainda registrou que todas as bicicletas levadas foram as mais caras.

O proprietário da Visual Bike, Bruno Soares Barbosa, gravou vídeo que foi publicado no Instagram da Visual Bike e contou que foi um "prejuízo gigantesco". Segundo ele, a loja tinha seguro para uma parte do estoque, mas nunca imaginaram que pudessem roubar a loja inteira.

"Entraram na loja e limparam a loja inteira. [Foram] aproximadamente 55 bicicletas da loja mais umas seis bikes de clientes, acessórios, Garmin, pontencímetro... enfim, levaram bastante coisas", disse Bruno.

Como as câmeras de segurança e equipamento de gravação das imagens do circuito interno da loja também foram roubados, não foi possível saber como os bandidos agiram.

Nas redes sociais circulou um vídeo mostrando como os funcionários da Visual Bike encontraram a loja após o assaltando. As imagens mostram o estabelecimento sem as bicicletas e alguns produtos que foram deixados no chão pelos assaltantes.


Dentre as bicicletas que foram roubadas na Visual Bike, estão as da linha Madone, Domane, Emonda, E-Caliber, Rail, Verve+, Supercaliber, Slash, Top Fuel, Procaliber, Fuel, Marlin, X Caliber, FX e bikes da linha infantil da Trek. A faixa de preço dos itens varia entre 85 mil e 2 mil reais.

Fica o alerta: se virem preços muito baixos desconfiem. Exijam nota fiscal.

Foto: Visual Bike (Ipiranga) / Top Tour Virtual
Leia mais...

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Bicicletas da KTM chegam ao mercado brasileiro por meio da 2W Motors

O Grupo 2W Motors anunciou que é o importador oficial da KTM Bikes no Brasil. As bicicletas já estão à venda no showroom do grupo

KTM Bikes chega ao Brasil por meio da 2W Motors - Foto: Divulgação


Em tempos nos quais a bicicleta deixou de ser apenas um equipamento de lazer e tornou-se um veículo de trabalho e um dos meios de transporte que mais têm atraído a atenção nos grandes centros urbanos, o Grupo 2W Motors anuncia que é o importador oficial da KTM Bike Industries no país. Os amantes da marca poderão pedalar em uma dessas preciosidades “Made in Áustria”, de alta performance e design arrojado, sem precisar buscar no exterior.

“A chegada da KTM Bikes faz parte dos planos de expansão da 2W Motors, com o incremento de mais uma marca no nosso portfólio de bicicletas. Escolhemos a marca em função do vínculo com os produtos off-road que comercializamos e por ser de renome, ter muito apelo na gama que atuamos e, principalmente, vinculado aos clientes que temos da Fantic, além das motocicletas da linha off-road da Husqvarna”, explica Raul Fernandes Jr, um dos sócios do grupo já consagrado por ser uma das referências no segmento de duas rodas.

Ao lado do irmão Maurício Fernandes, Raul comanda o grupo que representa também a italiana Fantic, que produz bicicletas elétricas (e-bikes) e que chegou ao Brasil há um ano.

Os modelos que estão sendo comercializados no showroom do grupo, no bairro de Moema, em São Paulo, são os da linha urban, road, mountain e, ainda kids. Entre eles: Wild Buddy 12, Chicago Disk 292, Chicago Disk 291, Ultra Sport 29, Scarp MT Exonic, Revelator Alto Elite, Revelator Alto Pro e a Revelator Alto Master (réplica usada no Tour de France – maior corrida de ciclismo de mundo que está acontece na França).

KTM Revelator Alto Master - Foto: Divulgação


Os valores variam de acordo com o modelo e o nível de ciclística. Para os iniciantes MTB é possível adquirir uma Chicago Disk 292, a partir de R$ 4.990,00. Uma bike em alumínio, versátil, de aro 29 e indicada para trilhas de mountain bike.

“Realmente fiquei surpreso com a finesse e a performance dos dois modelos. Já nos primeiros treinos melhorei meus tempos. As bikes evoluíram muito com a inclusão da marca no Tour de France, mundial de MTB”, explica Maurício referindo-se aos treinos na Revelator Alto Master e na Scarp MT Exonic. O empresário que também é piloto, concilia a sua rotina no grupo com as competições de Enduro e Rali, Brasil afora.

Sobre a KTM Bikes


A marca nasceu, em 1934, em uma oficina mecânica na cidade de Mattighfen, na Áustria. Mas foi em 1964 que começaram a ser produzidas as primeiras bicicletas da KTM Bike Industries, o modelo Fleetwing chega a ser comercializado nos EUA. Em 1978 veio a primeira bike de estrada (Fórmula S) e 10 anos depois, começa a ser fabricada a primeira mountain bike (Ultra Cross 1988).

Já a as bicicletas elétricas entraram na produção a partir de 1994. Mas foi em 2006 que as primeiras bikes com chassis full-carbon chegaram ao mercado e com sistema PDS (Prowler AT1). Após três anos, a marca apresenta a primeira e-montain bike (eRace 2010).

O empresário Raul Fernandes Jr com uma KTM Revelator Alto Elite - Foto: Divulgação
Empresário Raul Fernandes Jr com a KTM Revelator Alto Elite - Foto: Divulgação
Também conhecida como KTM Fahrrad GmbH, a empresa orgulha-se em rotular as bikes fabricadas com “Made in Áustria” que representam a história da KTM e seus produtos de design e tecnologia de ponta. Atualmente a empresa produz aproximadamente 240 mil bicicletas ao ano, destas 60% são de e-bikes.

Embaixador das marcas


Com mais de três décadas no segmento de duas rodas, seja como piloto de motos e de bikes, apresentador, comentarista e consultor esportivo, o paulistano Luciano Lancellotti, o KDRa, foi escolhido pelo grupo para ser o embaixador das duas marcas no Brasil: KTM Bikes e Fantic. Lancellotti diz estar feliz e muito honrado por poder trabalhar com a 2W Motors, a partir desta temporada. 

“KTM é uma marca de muita importância já no cenário da motocicleta e agrega um grande valor ao mercado nacional das bikes por ser uma marca icônica, assim como a Fantic, do cenário das motocicletas que também produz bicicletas de primeira linha e vai de encontro com o objetivo do grupo”, afirma.

Sobre o Grupo 2W Motors


Os irmãos Raul Fernandes Jr e Mauricio Fernandes são conhecidos por representarem marcas de peso do mercado mundial e transformaram a 2W Motors no grupo referência no Brasil, quando o assunto é duas rodas. Tudo começou em 2011, quando criaram a BMW Power Motorrad e um ano depois a Triple Triumph e, a partir de 2015, passaram a representar a Husqvarna Motorcycles no Brasil.

Em 2017 nasceu a 2W Motors, grupo sob direção de Raul, Maurício e, ainda, pela irmã mais nova Marcela Fernandes. Um ano depois inauguraram a Power Husky, em São Paulo, concessionária Flagship Husqvarna que trabalha com todos os modelos disponíveis no mercado internacional.

A partir de 2020, o grupo entrou também no mercado de bicicletas elétricas ao trazer a italiana Fantic para o país. Já em 2021, foi a vez da KTM Bikes, a tradicional marca austríaca, fazer parte da 2W Motors.

As bicicletas da KTM estão disponíveis para pronta entrega no showroom à Avenida Indianópolis, 564, Moema/SP e também podem ser adquiridas pelo e-commerce.

Mais informações pelo e-mail contato@2wmotors.com.br ou ainda no www.ktmbikesbrasil.com.brFacebook/KTM Bikes Brasil e Instagram @ktmbikesbr.
Leia mais...

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Pesquisa inédita revela número estimado de bicicletas no Brasil

Pesquisa inédita revela número estimado de bicicletas no Brasil - Foto: Fabrício Macedo / Pixabay


Uma pesquisa feita pela especialista em mobilidade urbana e fundadora da Multiplicidade Mobilidade Urbana, Glaucia Pereira, revela que o Brasil tem uma frota estimada de mais de 33 milhões de bicicletas. O trabalho apresenta ainda Vitória (ES), Campo Grande (MS) e Aracaju (SE) como as três cidades brasileiras com maior concentração de bikes.

De acordo com Glaucia, “o trabalho apresenta dados inéditos da frota de bicicletas no Brasil, que podem ser usados para diagnóstico de mobilidade urbana em relação à população a outros modos de transporte, e para desenvolvimento de políticas públicas baseadas em evidências”.

A pesquisa estima que o Brasil tenha 33.230.198 bicicletas, o que representa a média de 16 bicicletas para cada 100 habitantes.

Uma das grandes dificuldades em determinar com exatidão o número de bicicletas no Brasil é o fato de que esse é um veículo que não precisa de registro administrativo, como os carros, por exemplo. Para chegar ao resultado da pesquisa, Glaucia Pereira usou dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018 (POF) do Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados em 2019.

“Vale ressaltar que a POF possui metodologia domiciliar. Assim, é provável que o dado aqui estimado não inclua bicicletas presentes em casas de veraneio, imóveis de temporada e similares. A POF também não contempla posse de bicicletas por pessoas jurídicas, como lojas de aluguel e ciclologística”, explica a Glaucia.

5 capitais com maior número de bicicletas no Brasil


Com base na pesquisa elaborada por Glaucia Pereira, é possível verificar quais são as cidades brasileiras com maior número de bicicletas proporcionais ao número de habitantes.

1. Vitória (ES): 81.328 bicicletas - 23 bikes para cada 100 pessoas
2. Campo Grande (MS): 192.425 bicicletas - 22 bikes para cada 100 pessoas
3. Aracaju (SE): 124.674 bicicletas - 19 bikes para cada 100 pessoas
4. Goiânia (GO): 279.522 bicicletas - 19 bikes para cada 100 pessoas
5. Curitiba (PR): 336.873 bicicletas - 18 bikes para cada 100

O artigo da pesquisa de Glaucia Pereira com a estimativa de bicicletas no Brasil pode ser visto na íntegra contem o ranking completo das capitais e também dos estados separados por região.

Foto: Fabrício Macedo / Pixabay
Leia mais...
 
Copyright © 2018-2022 Foto e Bike • Direitos reservados | Escreva-nos: blogfotoebike@gmail.com
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top