Mostrando postagens com marcador produtos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador produtos. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Michelin traz novidades para pneus Jet Access Line e Force Access Line



O mês de maio marca o inicio da comercialização dos novos pneus da Michelin: Jet Access Line. Outra novidade anunciada pela Michelin é a nova medida com que os pneus Force Access Line que agora terão 2.35 polegadas, o que significa mais aderência. Confira abaixo mais informações sobre esses componentes das bikes.

Pneus Michelin Jet Access Line


De acordo com a Michelin, os pneus Jet Access Line são direcionados aos ciclistas amadores e apaixonados por mountain bike. São voltados para o cotidiano e têm uma condução ágil, rápida e precisa em todos os terrenos de MTB, especialmente os acidentados.

Esse lançamento do Michelin Jet Access Line conta com maior proteção contra furos e é ideal para quem busca aceleração e impulso e inspirado nas tecnologias de competição. De acordo com o fabricante, ele conta com 3 Layers Overlap Structure, três camadas sobrepostas para conferir maior segurança e proteção contra perfurações e suportar grande sobrecarga; Cotton Shield, lona exclusiva que promove total aderência e ajuste do pneu ao aro para maior segurança, força e robustez; Threads per Inch (TPI), maior volume de cabos e filamentos dentro de uma polegada, o que significa que quanto mais TPI, maior leveza e resistência a furos ou cortes.



Os pneus Michelin Jet Access Line estão disponíveis no mercado na dimensão 29x2,25 polegadas.

Nova medida do Michelin Force Access Line

 
Também chega ao mercado, a partir deste mês, a nova medida do pneu de bicicleta MTB Michelin Force Access Line: 29x2.35 polegadas. O produto é ideal para ciclistas iniciantes e entusiastas da prática de Mountain Bike e oferece maior proteção contra furos, durabilidade e aderência em terrenos acidentados e mistos.
 
Inspirado nos pneus de alta performance da marca, os cravos laterais do Michelin Force Access Line garantem maior agilidade e estabilidade em curvas, os cravos centrais são mais alongados e direcionais e os cravos intermediários são mais espaços e em grande quantidade.
 


A nova dimensão apresenta tecnologias de competição. 3 Layers Overlap Structure, três camadas sobrepostas para conferir maior segurança e proteção contra perfurações e suportar grande sobrecarga; Cotton Shield, lona exclusiva que promove total aderência e ajuste do pneu ao aro para maior segurança, força e robustez; Threads per Inch (TPI), maior volume de cabos e filamentos dentro de uma polegada, o que significa que quanto mais TPI, maior leveza e resistência a furos ou cortes.
Leia mais...

quarta-feira, 20 de abril de 2022

Sapatilha Giro Chamber II chega ao Brasil

Sapatilha Giro Chamber II chega ao Brasil


Após a conclusão da etapa de abertura da Copa do Mundo de Mountain Bike, em Petrópolis (RJ), a Isapa anuncia  a chegada das sapatilhas Giro Chamber II, uma das sapatilhas mais inovadoras do mercado de ciclismo. Elas se destacam tanto pelo visual quanto pelos recursos e tecnologias que impactam diretamente na experiência do biker.

A sapatilha de ciclismo Giro Chamber II traz todo legado de um modelo vencedor da Enduro World Series e da Copa do Mundo da UCI e chega com a proposta de contribuir com a evolução do MTB no Brasil.


“A sapatilha Chamber II é o que há de melhor para os amantes da gravidade e, não por menos, é usada por grandes atletas, como o multicampeão de downhill Aaron Gwin. Com a evolução do MTB no Brasil, e mountain bikers se encantando cada vez mais com trilhas mais técnicas e saltos, a chegada da Chamber II vem para suprir uma demanda crescente por equipamentos deste tipo”, comenta Marcel Balog, gerente de produtos da Isapa.

Detalhes da sapatilha Giro Chamber II


A Giro Chamber II traz o que há de melhor para quem está em busca de performance, conforto e, claro, muito estilo. Não à toa, é a sapatilha usada pelos principais atletas de donwhill e enduro, e ciclistas que buscam diversão e uma dose de adrenalina.

Detalhes da Sapatilha Giro Chamber II


Com um desenho que segue a linha e lembra o formato de um tênis urbano, a Giro investiu em um solado altamente durável em borracha Vibram Megagrip, que garante uma aderência acima da média. Além disso, a entressola também passou por atualizações: com uma construção Tri-Mold, ela otimiza a rigidez e flexibilidade para cada zona do pé.

A grande novidade e diferencial está exatamente aí, no solado plano e no posicionamento do canal do taquinho, 10mm para trás se comparado com as sapatilhas tradicionais. Esta posição ajuda a reduzir a fadiga, ajustando, ainda, a pegada para os trechos e terrenos técnicos. Tudo isso promove uma incrível eficiência de pedalada, juntamente a uma melhor conexão com os pedais.

Outros detalhes da chamada linha high-end da Giro ainda são capazes de incrementar a experiência e o conforto na prática do mountain bike. Pois, seja em um terreno seco, de cascalho, no calor intenso ou em plena chuva, a Giro Chamber II é a solução ideal. Com apenas 510 gramas, ela foi confeccionada em tecido de microfibra, é resistente à água e bastante respirável.

Os reforços de borracha nos dedos e no calcanhar oferecem durabilidade e proteção contra impactos em pedras e outros detritos da trilha, e o design com cadarço, com uma tira de velcro na parte superior, trava os calçados firmemente no lugar.

Disponível nos tamanhos de 39 a 43, a sapatilha Giro Chamber II já está disponível nas melhores bike shops do país. Seu preço sugerido de venda é a partir de R$ 1.099,00.

Fotos: Divulgação
Leia mais...

segunda-feira, 4 de abril de 2022

XR Spherical: mais novo capacete da Bell para MTB e estrada

Novo capacete Bell XR Spherical


Um novo capacete de ciclismo chega ao mercado por meio da Bell, uma das grandes marcas do mundo no quesito de segurança para a cabeça. A marca norte-americana revolucionou mais uma vez o mercado de ciclismo e trouxe um novo capacete: o inovador XR Spherical. 

Menos de um mês após divulgar as novas cores e grafismos dos capacetes Crest, Super 3R, Super Air R e Super DH, a anuncia o XR Spherical que chega ao Brasil através da Isapa.


O novo lançamento promete ser um dos capacetes mais versáteis do mundo. Voltado para a mais alta performance, tanto no ciclismo de estrada, no gravel ou no MTB, o capacete Bell XR Spherical oferece alta tecnologia e é extremamente leve.

“O Bell XR Spherical é um capacete que veio para revolucionar o que já existe no mercado, tanto de design quanto de construção e tecnologia. O grande diferencial dele é a ampla cobertura da cabeça e alta proteção para quem sai da estrada e vai para a terra e vice-versa. Ou seja, é aquela solução curinga, bem versátil: atende as necessidades de quem pratica ciclismo de estrada, gravel e até competições de XCO”, avalia Gilberto Alves Nunes, analista de produtos da Isapa.

Bell XR Spherical tem tecnologia de sobra

 
Com tamanha versatilidade, o Bell XR Spherical se destaca, ainda, pela tecnologia aplicada. Bastante leve, pesando cerca de 285 gramas, é extremamente bem ventilado e conta com o mais alto nível de proteção integrado: a tecnologia exclusiva da Bell, a Spherical by MIPS. 

O sistema MIPS que equipa o Bell XR Spherical é um dos sistemas de proteção mais avançados e modernos do mundo: em uma eventual colisão, ele dissipa o impacto, protegendo o cérebro, pois permite que a estrutura externa gire em torno da estrutura interna. O mesmo sistema também está presente nos capacetes Super 3R e Super Air R, ambos também da Bell.

Parte de trás do capacete Bell XR Spherical


Contando com as principais certificações de construção do mais alto nível de exigência, como a CPSC e CE, o capacete Bell XR Spherical foi construído a partir do processo Fusion In-Mold, cuja espuma EPS é injetada e moldada diretamente no casco. Ele é constituído, basicamente, de um capacete dentro do outro, cada um com uma densidade diferente, para justamente elevar o nível de segurança e de absorção de impacto, além de conferir menos peso.  

Ainda é possível observar um detalhe bem importante: um porta-óculos integrado de borracha que garante alta aderência para que o seu óculos de ciclismo não escorregue.

Ventilação e conforto do Bell XR Spherical


Sobre o sistema de ventilação do XR Spherical, são 18 aberturas com grandes canais ligando as entradas dianteiras às saídas na parte de trás. Dessa forma, um alto e contínuo fluxo de ar é garantido para manter a temperatura baixa.


Outro fator que traz um conforto é o sistema Sweat Guide, ou guia do suor. De forma resumida, o formato do próprio capacete e do seu forro é capaz de direcionar todas as gotas de suor ou água da chuva para pingar fora da testa, evitando escorrer pelo rosto e nos óculos.

Outras especificações técnicas do Bell XR Spherical

 
- Sistema de ventilação Overbrow Ventilation®: aberturas sobre as sobrancelhas que mantém o frescor e refrigeração de forma constante, mesmo em dias quentes. 

- Sistema de ajuste Float Fit Race®: design minimalista e muito leve que oferece ajuste preciso e mais confortável. A regulagem pode ser feita com apenas uma mão de forma milimétrica.

Lateral do capacete Bell XR Spherical branco


- Sistema No-Twist Tri-Glides: as alças também são simples de ajustar, sem que haja qualquer tipo de torção. Assim, fica muito mais fácil de vestir o capacete.

- Sistema de fechamento Fid-Lock: com encaixe magnético, mais prático e fácil de ser utilizado, além de ser mais seguro. Basta encostar que ele trava. Para destravar, é só acionar o botão de segurança.
 
- Sistema de tratamento antimicrobiano e bactericida com o forro Ionic Plus, altamente avançado e durável.

O capacete Bell XR Spherical está disponível em 3 cores: cinza, branco/preto e Azul fosco. O lançamento do capacete chega nos próximos dias nas melhores lojas e bike shops do país, com distribuição exclusiva da Isapa. Seu valor sugerido de venda é a partir de R$ 1.819,00.
Leia mais...

quarta-feira, 30 de março de 2022

Novos pneus da Levorin para BMX chegam ao mercado

Pneus Levorin Master Grip e Master Race para BMX


Atenta ao aumento da prática do BMX e ao crescimento do número de parques dedicados à essa disciplina do ciclismo, a Levorin mais uma vez revoluciona o mercado nacional com novos pneus para atender aos bikers do BMX racing e freestyle.

Com mais de 75 anos no mercado brasileiro de produtos para motos e bikes, a Levorin lança a partir de abril, os dois novos pneus: LEVORIN Master Grip, indicado para a categoria de manobras urbanas freestyle e LEVORIN Master Race, ideal para corridas.


O pneu LEVORIN Master Grip tem maior aderência nas pistas secas e molhadas, rápida resposta e ultrarresistência devido a seu composto de fibras sintéticas, podendo suportar os fortes impactos e altas cargas da categoria.

Tecnologias do pneu Levorin Master Grip


O pneu Levorin Master Grip é composto por três tecnologias que proporcionam aderência, eficiência nas respostas e maior segurança ao ciclista do BMX

Tecnologias do LEVORIN Master Grip


Entre as tecnologias empregadas nos pneus Levorin Master Grip, é possível destacar:

1) Single Rubber Compound: um composto exclusivo de borracha que garante excepcional aderência

2) Três layers, construção de múltiplas camadas cruzadas e sobrepostas que permite respostas rápidas aos comandos dos pilotos em suas manobras radicais.
 
3) Attached Cord, tecido composto com fibras sintéticas de alta resistência, que forma uma estrutura reforçada, proporcionando maior segurança e proteção sob uso intenso.

Já o pneu LEVORIN Master Race oferece máxima velocidade mesmo com pressões acima de 80 libras e rápida resposta. Tal como o Master Grip, ele também apresenta três tecnologias, mas diferentes do anterior.

Tecnologias do LEVORIN Master Race


Tecnologias do pneu Levorin Master Race


1) Tubular Shape, que está relacionada com a agilidade em retas e curvas
 
2) Três layers, que entrega rápidas respostas aos comandos dos pilotos

3) Polyester Shield, que promove proteção antiabrasiva.

Os pneus Levorin Master Grip e Master Race estarão disponíveis no mercado a partir de abril. 

Fotos: Divulgação
Leia mais...

Fox tem nova distribuição exclusiva no Brasil

Bicicleta MTB com suspensão dianteira da FOX


Referência no mundo do ciclismo, o grupo Fox Factory Inc, responsável pelas marcas Fox, Raceface, Easton e Marzocchi, tem uma nova distribuição no Brasil. Trata-se de uma parceria entre a Escola Park Tool e a distribuidora Corsa Bike Parts. 

A medida vai democratizar o acesso à capacitação dos produtos e também facilitar o suporte comercial e assistência técnica, beneficiando ciclistas, lojistas e profissionais de mecânica de bikes.


“Acredito que essa tenha sido a solução ideal para beneficiar todas as pontas do mercado, facilitando o acesso ao conhecimento das tecnologias Fox e também aos produtos  das outras três marcas. No final disso, quem ganha é cada ciclista que tem uma experiência ainda melhor, com profissionais preparados e autorizados para atender às necessidades”, explica Henrique Zompero, fundador e diretor de ensino da Escola Park Tool.

Responsável pela parte comercial da parceria no país, a importadora Corsa Bike Parts passa a ser a distribuidora oficial dos produtos Fox, Raceface, Easton e Marzocchi. Com isso, o acesso a produtos e peças de reposição será facilitado e muito mais prático de chegar até mecânicos, lojistas credenciados e, consequentemente, ciclistas, que terão o atendimento mais ágil, de forma oficial e segura.

Com um peso importante para a valorização do mercado de ciclismo e também das marcas que agora contam com representantes no país, a parceria é estratégica: a Escola Park Tool promove a capacitação de profissionais, enquanto a Corsa Bike Parts faz a distribuição das peças e atendimento pós-venda.


De forma muito prática, todas as vendas desses produtos serão feitas pelo portal B2B da Corsa Bike Parts, assim como já é feito com produtos Magura. Exclusivo para lojistas, basta ter o CNPJ ativo para realizar o cadastro no portal.

Capacitação do mercado de bicicletas


Com a nova parceria, a partir de agora a Escola Park Tool é o único centro de capacitação habilitado a promover cursos sobre os produtos e tecnologias das marcas. A grade de ensino será ampliada com cursos e módulos exclusivos de formação e atualização sobre os principais produtos, componentes e tecnologias da Fox. Assim como já acontece com outras marcas.

Se pelo aspecto da formação profissional já é uma grande notícia, uma vez que os novos cursos vão preparar e habilitar mecânicos para oferecerem a assistência técnica credenciada dos produtos, qualificando o atendimento e serviço, a outra novidade diz respeito mais ao setor comercial, do acesso e facilidade para comprar produtos e peças de reposição.

Já os cursos de capacitação profissional estarão disponíveis no site da Escola Park Tool.

Foto: Divulgação
Leia mais...

sábado, 26 de fevereiro de 2022

Novas opções de capacetes de ciclismo da Bell

Novos capacetes da ciclismo da Bell


Volta e meia aqui no blog Foto e Bike a gente fala sobre a importância dos acessórios de segurança para o ciclista, seja urbano, estradas ou em trilhas. Dentre esses itens, o capacete é de suma importância. E a norte-americana Bell trouxe novidades de seus capacetes de ciclismo para o Brasil.

A Bell é uma das maiores marcas do mercado mundial quando o assunto é capacete. Distribuídos exclusivamente pela Isapa aqui no Brasil, os novos capacetes da Bell para ciclismo chegam com nova roupagem.


Os capacetes Crest, Super 3R, Super Air R e Super DH são os quatro principais modelos da Bell e estão com novas cores e grafismos para 2022. Confira a seguir os detalhes e preços sugeridos de cada um deles.

Capacete Bell Crest


Desenvolvido para oferecer versatilidade a quem pedala, o Crest é um dos modelos de capacete premium para ciclismo com valores mais acessíveis do mercado, disponibilizado pela Bell no Brasil. Com um excelente custo-benefício, conta com toda tecnologia de construção, segurança e qualidade comprovada da marca norte-americana.

Capacete Bell Crest prata


Capacete Crest é um modelo que pode ser utilizado em praticamente todos os estilos de pedal, inclusive no pedal urbano. Em 2022 chegam ao Brasil novas cores do capacete: amarelo neon, cinza com prata e laranja.

O capacete Bell Crest possui 17 aberturas de ar, construção In-Mold, com casco em policarbonato e peso e volume reduzidos, aproximadamente 260g.  

O valor sugerido de venda é R$ 259,00  

Capacete Bell Super 3R


Dentre os capacetes de ciclismo da Bell está Super 3R, um dos capacetes pioneiros no enduro. O Bell Super 3R já foi considerado diversas vezes por ciclistas como um dos melhores capacetes da modalidade. E ainda hoje continua sendo uma solução muito atual, agora em novas cores: laranja com preto e cinza com chumbo. Com queixeira removível, fácil de tirar e colocar, é bastante versátil e pode ser usado aberto ou fechado. 

Capacete Bell Super 3R laranja e preto


Pesando menos de 800 gramas, o capacete Bell Super 3R oferece diversos recursos que garantem a performance e diversão nas trilhas. Inclui em sua construção a tecnologia MIPS, de proteção contra impactos nos mais variados sentidos e intensidades. Esse mesmo sistema também foi aplicado capacete Bell XR Spherical, que voltado para MTB e ciclismo de estrada.

É um modelo bem interessante também para quem pratica o E-MTB, já que se adapta a qualquer situação de trilha e oferece a confiança que qualquer ciclista precisa. Está a venda no Brasil a partir de R$ 1.999,00

Capacete Bell Super Air R


Relacionado entre os capacetes da nova geração, o Bell Super Air R é o modelo full face com queixeira removível com mais alta tecnologia, perfeito para ciclistas versáteis, que querem uma solução que pode ser utilizada desde os deslocamentos diários até as trilhas mais ousadas e difíceis. 

Capacete Bell Super Air R branco e preto


Utilizando tecnologia Spherical by MIPS é, ao mesmo tempo, extremamente leve para um capacete full face e dos mais seguros da linha. O Super Air R pesa 640g e é altamente arejado e fácil de ajustar. Em 2022 ganhou novas cores: cinza com vermelho e preto com branco. O valor de venda sugerido é a partir de R$ 2.429.

Capacete Bell Super DH


A linha de capacetes Super conta com um modelo certificado, inclusive, para uso em provas oficiais de downhill. O Bell Super DH, que agora está disponível nas cores preto com branco e azul com vermelho, é o capacete ideal para quem quer investir em uma solução apenas, para uso no Enduro e Downhill, mas com boa amplitude de possibilidades.

Capacete Bell Super DH


Com uma estrutura ainda mais reforçada que os outros modelos da linha Super, ele atende às exigências e certificações das modalidades, seja em competições e ou trilhas de lazer. Com queixeira removível, o modelo é indicado para quem tem uso mais intenso e agressivo e precisa de muito mais proteção, mesmo que isso signifique um peso ligeiramente maior.

Seu valor de venda sugerido é a partir de R$ 2.429.
Leia mais...

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

Novas sapatilhas de ciclismo da Shimano são apresentadas

Sapatilhas de ciclismo Shimano RC3, RC5, RC7, CT5, MT5 e XC9


A Shimano traz para o Brasil uma variedade considerável de sapatilhas de ciclismo para 2022. A marca japonesa é reconhecida mundialmente por elaborar e distribuir produtos de ponta para bikes e essas sapatilhas são as mais novas opções para quem curte pedaladas mais intensas ou apenas deslocamentos urbanos.

Dentre as sapatilhas da Shimano, estão a CT5 e MT5. Elas são sapatilhas de ciclismo casuais disfarçadas de tênis e muito mais confortáveis para um pedal urbano. Em matéria de conforto e preço, estão em disputa direta com o Adidas Velosamba


Mas as novas sapatilhas de ciclismo da Shimano não são apenas para pedal urbano. A marca traz novidades também para a galera de road (sapatilhas Shimano RC3, RC5 e RC7) e MTB (sapatilha Shimano XC9).

Sapatilhas de ciclismo casuais Shimano CT5 e MT5


Disponível na cor azul claro/cinza e nos tamanhos de 39 à 48, a sapatilha casual Shimano CT5 é extremamente versátil e foi feita para aqueles que gostam do desempenho e da compatibilidade com o pedal SPD (pedal clip da Shimano), mas que também não abrem mão da aparência despojada de um tênis casual. 

Sapatilha de ciclismo casual Shimano CT5


Servindo para fins tanto profissionais quanto despretensiosos, o solado intermediário de EVA do Shimano CT5 absorve choques e melhora consideravelmente o conforto de caminhada, enquanto que uma placa de haste interna oculta aumenta a rigidez quando necessário para transmitir energia aos pedais de forma eficiente. A sola é otimizada para compatibilidade com os pedais SPD e Shimano Click’r.

Tecnologias empregadas na CT5


- Expanded Cleat-Adjustment Range, que possibilita o ajuste da sapatilha de acordo com a diferença entre o tamanho e o comprimento medido do arco

- Shimano Pedalling Dynamics (SPD), que consiste num sistema que torna a pedalada mais eficaz, com uma ampla variedade de estilos de calçados

- E-Bike Rated, que proporciona maior conforto de condução, melhor controle da bicicleta, facilidade de caminhada e proteção específica para ciclistas

- Power to the Pedal, que permite força sob cargas extremas da pedalada

As sapatilhas Shimano CT5 já estão disponíveis para venda e o preço sugerido é de R$ 809,90.


Ainda na linha de sapatilhas casuais da Shimano, a sapatilha MT5, disponível na cor azul e tamanhos de 41 a 45, é confortável e firme no pé, e foi criada para atender ao estilo de vida à céu aberto. Ideal para caminhadas em trilhas leves, possui um sistema de amarração rápida, com uma tira localizada no “peito” do pé, proporcionando ajustes práticos e seguros.

Sapatilha de ciclismo casual Shimano MT5


Com um cabedal leve e esportivo e painéis de malha, que garante uma fixação e respiração perfeitas dos pés no calçado, possui, também, lâmina reforçada com fibra de vidro, para assegurar uma rigidez otimizada da sola.

A sapatilha Shimano MT5 possui compatibilidade para e-bikes de pedal plano e foi desenvolvida para passeio e trekking (caminhadas mais “extremas”, em meio a trilhas de montanhas e florestas).

Tecnologias empregadas na Shimano MT5


- SPD

- E-Bike Rated

O preço sugerido para as vendas da sapatilha Shimano MT5 é de R$ 979,90.

Sapatilha Shimano XC9: essa é para MTB


Disponível na cor preta e tamanhos 39 a 42, a sapatilha Shimano XC9 foi feita para MTB e ciclocross. Integrando o melhor da tecnologia atual em construção de calçados, com a qualidade já conhecida da série Shimano S–Phyre, a XC9 conta com rigidez e flexibilidade otimizadas, tela reforçada e sintético de microfibra, que são dispostos em camadas de zonas de desempenho – aprimorando, também, ajuste e respirabilidade.

Sapatilha Shimano XC9 para MTB


O calcanhar da sapatilha XC9 é refinado e poupa peso sem comprometer a rigidez, enquanto o forro antiderrapante estabiliza o calcanhar e mantém o pé firmemente no lugar, oferecendo apoio ao calcanhar na bike.

Tecnologias empregadas na sapatilha Shimano XC9


- Shimano Dynalast, que ajuda a reduzir a perda de energia em pedaladas longas, permitindo que você tenha uma reserva maior de energia, para aquela arrancada final até a linha de chegada

- Silvadur, que consiste numa tecnologia antimicrobiana avançada, utilizando usando íons de prata

- SPD

- Ultread, que oferece durabilidade superior e uma aderência extraordinária;

- Botões BOA Fit, que fornecem ajuste rápido, sem esforço e com precisão

Sugestão de preço para varejo: R$ 3.349,90

Sapatilhas Shimano para road bike: RC3, RC5 e RC7


A sapatilha RC3, que está disponível nos tamanhos 47 a 50 e na cor preta, é uma sapatilha feminina para road que vem com diversos recursos da S-Phyre, incluindo a parte superior, com ajuste semelhante a entressola sem costura, botões e a atraente paleta de cores azul Shimano.

Sapatilha Shimano RC3 ciclismo de estrada


A Shimano RC3 está disponível para venda e o preço sugerido é de R$ 899,90.

A sapatilha RC5, disponível nos modelos masculino (tamanhos de 47 a 50) e feminino (tamanhos 36 a 42), possui construção de cabedal e entressola sem costuras. Indicada para road, é feita para desempenho profissional e conta com tecnologias de pedal e ajuste avançados.

Tecnologias empregadas nas sapatilhas Shimano RC3 e RC5


- Women Tecnology, feita com exclusividade para mulheres, tem a forma e o design anatômico 3D, levando em consideração as necessidades da anatomia feminina

- SPD

- Shimano Dynalast;Expanded Cleat-Adjustment Range, que possibilita o ajuste da sapatilha de acordo com a diferença entre o tamanho e o comprimento medido do arco;

- Botões BOA, de ajuste aperfeiçoado

Sugestão de preço para varejo:

RC5: R$ 1.519,90

RC5 (feminino): R$ 1.499,90


Já a sapatilha Shimano RC7 está disponível nas cores branco e preto, nos tamanhos 39 a 46, e conta com um DNA S-Phyre. Com excelente estrutura de carbono oco, ultra rígida no solado, e os já conhecidos botões BOA, a construção de cabedal e entressola sem costuras proporciona um novo nível de excelência ajuste, estabilidade e desempenho com leveza, reduzindo a sobreposição e ajustando-se perfeitamente aos seus pés.

Sapatilha Shimano RC7


Conta com uma estrutura sintética de alta densidade, flexível com perfurações e combinada com TPU/malha leve, que proporciona ajuste e conforto superiores, especialmente se comparada às modelos anteriores da marca.

Sugestão de preço para varejo: R$ 1.859,90

Tecnologias empregadas na Shimano RC7


- SPD; 

- Shimano Dynalast

- Expanded Cleat-Adjustment Range

- Upper Tecnology

- BOA

As sapatilhas Shimano têm distribuição exclusiva pela Blue Cycle no Brasil. A distribuidora informa que todos os modelos especificados no texto já se encontram disponíveis nas principais bike shops do país.
Leia mais...

sábado, 12 de fevereiro de 2022

Dica: bagageiro para bicicleta aro 29 bom e barato

Bicicleta com bagageiro Yamada instalado


Um bagageiro pode ser a melhor opção para quem pretende fazer deslocamentos diários de bicicleta. Junto com os alforjes, eles são ideais para carregar roupas, sapatos, marmita e outras coisas. Mas como encontrar um bagageiro que seja bom e que atenda às suas necessidades e as da sua bike?

Nessa publicação falo um pouco sobre o perrengue que passei até achar um bagageiro ideal para minha bicicleta e te conto o que achei dele. Isso vai te ajudar a encontrar um bagageiro bom e barato para você também.


Como já havia relatado aqui no blog Foto e Bike, comprei minha bicicleta em 2016 e um dos objetivos era utilizar o equipamento para fazer o deslocamento diário para o trabalho porque o preço da gasolina estava muito alto (ainda está!). Porém, com o tempo comecei a perceber que fazer isso com a mochila nas costas era possível, mas não era tão confortável e aí precisei buscar outras opções.
 
Fiz várias buscas por bagageiros para bicicleta aqui em minha cidade, mas não encontrei nada que se adequasse à minha bike, uma aro 29 com freios a disco e sem furação no quadro para esse tipo de suporte.

Pesquisei um pouco na internet e vi que havia modelos de bagageiro para bicicletas aro 29 muito bons, mas como o dinheiro estava curto e os que achei estavam bem acima do meu orçamento, peguei o mais simples e tive que adaptar. Ficou até bom, mas quando o alforje estava cheio e as vias muito esburacadas, o conjunto ficava trepidando demais e os parafusos com muita folga. Quando a gambiarra não fica boa o resultado é esse!

Bicicleta GTSM1 com bagageiro
Minha bicicleta na época do bagageiro adaptado

Em 2018 retomei o projeto de ir pedalando para o trabalho e usar a bicicleta mais vezes ao dia para ir ao mercado e fazer certas atividades. Com isso, tive que resolver o problema do bagageiro para poder fazer os 30 km diários para ir e voltar de bicicleta ao trabalho. 

Bagageiro de bicicleta Yamada H27-4: foi o ideal para mim


A solução foi alcançada com um bagageiro da Yamada, modelo H27-4. Esse bagageiro serve para bicicletas aro 26 e aro 29 e se encaixa perfeitamente nas bikes de freio v-brake ou a disco. Além do mais, a bicicleta não precisa ter furação para bagageiro, pois ele conta com blocagem para se fixar no canote do selim. 

Outro ponto que me fez escolher o bagageiro Yamada H27-4 foi a versatilidade dele. Ele tem capacidade para suportar de 9 Kg até 25 Kg. E aqui é preciso explicar direitinho: esse bagageiro conta com duas barras de reforço que vem junto com ele. Quando essas barras estão instaladas, você pode ultrapassar os 9 kg de carga aplicadas nele.

Bagageiro Yamada H27-4 instalado
Bagageiro Yamada H27-4 instalado

Em alguns locais é possível encontrar a informação de que esse bagageiro da Yamada suporta até 50 kg, mas eu acho que essa é uma visão muito otimista da situação e prefiro a parte mais conservadora: na dúvida, não sobrecarregue o bagageiro e sua bicicleta.

O bagageiro Yamada H27-4 atendeu às minhas expectativas tanto em relação à qualidade quanto ao preço. Vou ser sincero: não lembro quanto paguei na época, mas hoje em dia ainda é possível encontrar o mesmo bagageiro por menos de R$ 200,00.

Bagageiro de bicicleta da Yamada é bom mesmo?


Talvez você esteja com dúvidas em relação a esse bagageiro só porque ele é da Yamada. Bom, não é fazer propaganda da marca (até porque não sou fã deles quando se trata de câmbio de bicicleta), mas esse bagageiro de bicicleta realmente surpreendeu e durou muito. Como disse antes, eu comprei ele em 2018 e usei direto pegando sol, chuva, poeira e tudo o que tem direito. Conclusão: ainda tenho o produto e ele continua me atendendo muito bem. Ainda pretendo utilizar ele numa cicloviagem em breve.


A título de curiosidade, utilizei ele na minha aro 29 que tem freio a disco e também utilizei em uma outra bicicleta que era aro 26 e com freios v-brake. Ficou perfeito nas duas!

Pontos positivos do bagageiro Yamada H27-4


Como já falado, o bagageiro Yamada H27-4 serve tanto para bicicletas aro 26 quanto aro 29, de freio a disco ou v-brake. Ele é fabricado em alumínio e sua fixação é feita por meio de blocagem que prende no canote. Então é preciso ficar atento a um detalhe fundamental: ele só pode ser instalado em canotes de 22,2 mm a 31,8 mm.

Blocagem do bagageiro Yamada H27-4
Blocagem do bagageiro Yamada

Um detalhe muito interessante é que após usar esse bagageiro na minha bicicleta durante um mês inteiro os parafusos não apresentaram nenhum sinal de folga e ele não ficaram batendo ou vibrando como ficavam naquele outro bagageiro que eu tinha adaptado.

Outro ponto muito positivo do bagageiro Yamada H27-4 é sem sombra de dúvida o preço: como eu não tinha condições de investir muito comprando bagageiros renomados, pegar um por menos de R$ 200,00 para mim foi excelente. E quando junto isso ao fator de que ele é muito durável posso concluir que tem um excelente custo benefício.

Pontos negativos do bagageiro Yamada H27-4


Como nem tudo são flores, o bagageiro Yamada não é perfeito. O ponto negativo não vai nem para o produto em si, mas é que ele não veio com manual de instruções para auxiliar na instalação. Beleza que não é difícil de instalar o bagageiro na bicicleta, mas é que se viesse com manual esse poderia conter recomendações sobre o uso correto, formas de conservação e todas aquelas informações do fabricante.


Pensei que a situação do manual tinha acontecido só comigo, mas não. Soube de vários relatos de outros usuários que também tiveram esse problema, mas que também não tiveram dificuldade para instalar o bagageiro em suas bicicletas. 

Outra coisa que também não gostei muito é que precisei de pelo menos pelo menos quatro ferramentas diferentes para conseguir instalar o esse bagageiro Yamada H27-4 completo na minha bicicleta. Mas mesmo assim não foi difícil (nada que aquele canivete de ferramentas não resolva).

Ficha técnica do bagageiro de bicicletas Yamada H27-4


- Fabricado em alumínio super-resistente;
- Tipo de fixação: blocagem para canote do selim;
- Medidas do canote: de 22,2 mm a 31,8 mm com borracha ajustadora inclusa e/ou 31,6 mm diretamente no canote;
- Medidas da base: 14 X 35 cm;
- 2 barras de reforço para fixação no seat stay
- Carga Recomendada: 9 kg a 25 kg;
- Acompanha um elástico extensor;
- Peso aproximado: 1160 g

Bom, é isso galera! Se você está procurando um bagageiro para instalar em sua bicicleta eu recomendo o Yamada H27-4 por três motivos: ele é bom, é durável e o melhor de tudo: é barato!
Leia mais...

segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Dicas para levar bicicleta no transbike sem tomar multa

Carro com duas bicicletas no transbike de porta-malas e régua de sinalização


Volta e meia as pessoas têm dúvidas sobre como levar a bicicleta no teto do carro ou na tampa do porta-malas. É que existe a possibilidade de tomar multas caso você não siga algumas determinações do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Pensando nisso, o blog Foto e Bike traz algumas dicas que vão te ajudar.

Os primeiros pontos que o ciclista deve observar quando vai transportar sua bicicleta no carro têm relação com a questão da segurança: da bike, dos outros e a sua própria. Isso vale tanto para quem vai levar a bicicleta no teto quanto para aqueles que transportarão no transbike da tampa do porta-malas do carro. 

E é isso que o Contran estabelece na resolução 349/2010 com "critérios para o transporte eventual de cargas e de bicicletas nos veículos classificados na espécie automóvel, caminhonete, camioneta e utilitário" (cf. Art. 1º).

Então, respondendo a uma pergunta que muitas vezes surge: sim, você pode transportar bicicletas no teto ou na tampa do porta-malas do seu carro. Mas não é só amarrar ela lá e achar que está tudo certo. Existem regras e acredite: pode ser difícil levar multa por não cumpri-las, mas é melhor seguir do que perder dinheiro.

Como carregar bicicleta em transbike de porta-malas


Os transbike para porta-malas são os mais procurados por quem quer levar as bicicleta no carro. Em contrapartida, ele é o que tem mais regrinhas para serem seguidas e é o vilão da história. 

O artigo 3º da resolução 349 do Contran é quem explica sobre como transportar a bicicleta no transbike de porta-malas do carro de maneira segura e sem infringir as regras de trânsito. 

Carro com três bicicletas no transbike de porta-malas com régua de sinalização
Transbikes de porta-malas são cheios de regras para uso - Foto: SaiKrishna Saketh Yellapragada_Unsplash

Analisando esse artigo do Contran é possível encontrar as 5 formas de como as bicicletas NÃO devem estar nos transbikes de porta-malas. Confira item por item da lista abaixo e sempre fique atento a isso.

1. Não coloque em perigo as pessoas nem cause danos a propriedades públicas ou privadas

2. Não se arraste pela via nem caia sobre esta

3. Não provoque ruído nem poeira

4. Não oculte as luzes, incluídas as luzes de freio, setas e os dispositivos refletores

5. Não exceda a largura máxima do veículo

Se você transportar sua bicicleta em transbike para porta-malas em qualquer uma das situações listadas acima (ou em todas as situações acima) saiba que estará indo contra o Código de Trânsito Brasileiro e cometendo infrações graves e gravíssimas que podem te dar um presente: multas que variam de R$ 190,00 a R$ 290,00 e ainda pode ter retenção do veículo.

A bicicleta não pode tampar a placa do carro


Além dos itens listados acima, se a bicicleta no transbike de porta-malas estiver obstruindo de forma total ou parcial a placa do carro você está cometendo uma infração e pode levar multa. O artigo 4º do Contran fala sobre isso e também dá orientações sobre como fazer (obs.: fica com a gente que vamos te explicar o que fazer nesse tipo de situação, é só seguir o texto).

Como transportar a bicicleta no carro sem levar multa


Como dito acima, mesmo que os transbike para porta-malas sejam os mais procurados por quem vai levar bicicletas no carro (por conta do custo e outros fatores), eles são os que mais têm regras para serem seguidas por quem não quer correr risco de levar multas. 

Sendo assim, a melhor solução para quem quer levar as bikes no carro seria a aquisição de um suporte de bicicletas para instalar no teto, pois as regras para transporte nessa condição são mais simples e o investimento pode valer apena (cada caso é um caso). 

Carro com duas bicicletas no transbike de teto
Levar bicicletas no transbike de teto pode ser a melhor solução - Foto: Davi Corrêa


Para ter uma ideia de como as regras são mais simples para o transporte de bicicleta no teto de carros, o Contran vai dizer que, sendo transportadas nessa condição, as bicicletas não devem se sobressair ou se projetar para além do veículo pela frente (cf. Art. 3º, VIII).

Mas, como cada caso é um caso, se você não tiver condição de adquirir um transbike de teto no momento, compre um para utilizar no porta-malas visto que na maioria das vezes, são mais viáveis para compra. Então, se você optar por transportar sua bicicleta em um desses, lembre de nunca transportar a bicicleta das formas que foram listadas anteriormente aqui e tenha em mente os seguintes pontos para não levar multas.

1. Veja se a bicicleta vai exceder a largura do carro

Se quando instalar a bicicleta no transbike do porta-malas ela exceder a largura do carro (contando os retrovisores) é melhor você não sair pelas ruas nessa condição, pois cabe multa aí e é infração de trânsito. Uma dica que pode ajudar é tentar retirar uma das rodas ou as duas e veja se a situação fica adequada. Se ainda assim não resolver, a dica é: não arrisque.

2. Cuide para não encobrir placa e luzes de sinalização

Aqui não vale tentar se enganar dizendo que dá para ver as luzes pelos raios da roda da bicicleta. Quando o Contran diz encobrir está querendo dizer que não pode encobrir nem parcialmente nem totalmente. O mesmo vale para a placa: é proibido o encobrimento total ou parcial.

Para corrigir essa situação você deve comprar uma régua de sinalização e uma segunda placa traseira de identificação. Essa régua tem medidas específicas e características próprias e a segunda placa tem que ser de modelo oficial estabelecido pelo CTB, ou seja: vai ter que pagar o Documento Único de Arrecadação, o famoso DUDA.

Agora é só escolher a melhor opção


É isso e não tem jeito! As regras foram criadas e estão aí. Agora que você já tem as dicas de como transportar sua bicicleta no transbike seja de teto ou de porta-malas sem levar multas, basta escolher qual produto te atenderá melhor, colocar a bike nele e ir até o ponto onde quer começar a pedalar.

Foto de destaque: gmeurope / sob licença CC BY-NC-ND 2.0
Leia mais...

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Lançamento: novos capacetes de ciclismo da 100% chegam ao Brasil

Ciclista com capacete 100% Altis preto


Todo mundo que pratica ciclismo sabe da importância do uso de um bom capacete. E, sabendo disso, a norte-americana 100% está expandindo o seu catálogo de produtos com a introdução de 4 novos capacetes para ciclismo no mercado brasileiro.

Através da Isapa, a 100% amplia ainda mais o leque de soluções em alta performance para ciclismo com a chegada de duas versões dos capacetes 100% Altis ao mercado brasileiro, além dos modelos Aircraft e Status, ambos full face com ampla proteção.

Distribuída oficialmente no país desde 2019, a 100% chegou ao Brasil com a extensa linha de óculos esportivos da marca – pioneira desde os anos 80, com soluções inspiradas no motocross e modalidades mais extremas de ciclismo. Depois dos óculos, considerados entre os melhores do mundo para alta performance, vieram as luvas de ciclismo e agora chegam os capacetes ao público brasileiro.

“A 100% começou a expandir sua atuação mundialmente, com novos produtos, como luvas e capacetes, e tem sido um sucesso. Percebemos essa aceitação lá fora e notamos a lacuna que o mercado nacional tinha, com a falta de produtos com esse perfil, de alto nível e visual exclusivo. Assim, resolvemos apostar na ampliação da marca no Brasil, para atender as necessidades de ciclistas exigentes e atletas de alta performance”, explica o analista de produtos da Isapa, Gilberto Alves Nunes.

Os capacetes da 100% são produzidos com tecnologia de alta proteção exclusiva elaborada pela própria marca.

Detalhes dos capacetes 100% Altis e Altis Gravel


A nova linha de capacetes 100% Altis traz modelos de altíssima proteção projetados para atender as necessidades de ciclistas que buscam alto rendimento. São dois modelos: um para mountain bike e outro para road e gravel.

Mulher utilizando capacete 100% Altis



Com características de desenho, desempenho e proteção iguais, a grande diferença entre os dois modelos é que o Altis possui uma viseira ajustável multiponto, que oferece uma visão mais ampla e conforto nas trilhas. Já o modelo Altis Gravel vai sem a viseira, com um visual mais clean e aerodinâmico.

A linha Altis traz capacetes leves e altamente ventilados. Conta também com uma tecnologia exclusiva de proteção rotacional desenvolvida pela própria 100%, a Smartchock®, além da boa cobertura da área traseira da cabeça. O sistema foi desenvolvido com 11 pontos de absorção de impacto, o que significa que você terá muito mais proteção em diferentes tipos de velocidade e ângulos, diferente dos capacetes mais comuns encontrados no mercado.

Além disso, o Altis é construído com tecnologia In-Mold, com espuma de EPS de alta densidade moldada a uma casca de policarbonato, forro antimicrobiano lavável e grande capacidade de eliminação de umidade. Junto com as 14 entradas/saídas de ar, é uma solução ideal quem busca proteção, conforto e alto rendimento para pedais mais longos e em dias mais quentes.

O visual é outro detalhe que chama a atenção nos modelos. Com um casco moderno, desenvolvido com materiais premium, os capacetes Altis trazem conforto, segurança e um estilo marcante para o pedal.

Disponível nos tamanhos M e G, e em duas cores diferentes para cada versão, os capacetes 100% Altis e Altis Gravel tem preço sugerido de venda a partir de R$ 1.099,00

Ambos já estão disponíveis nas melhores lojas e bikeshops do país.

Capacetes 100% full face: Aircraft e Status


A Isapa também traz ao Brasil dois modelos de capacetes de ampla proteção e cobertura, os chamados full face, voltados para as modalidades mais agressivas e terrenos mais desafiadores, como o enduro, downhill e BMX.

Capacete Aircraft da 100&%


Um deles é o Aircraft, capacete ultraleve projetado com casco de fibra de vidro, além de um sistema de fluxo ativo de resfriamento e 25 portas de ventilação, o Active Cooling System.

O outro é o Status, que traz um design diferenciado e possui sua concha de proteção feita de fibra de vidro. Extremamente leve, ele também possui um sistema de ventilação de fluxo ativo, além de um caimento e encaixe perfeitos, que garantem máximo conforto nas pedaladas.

Ambos modelos de altíssima performance e proteção, já consagrados no mercado, sendo utilizados por alguns dos melhores atletas do mundo.

Fotos: Divulgação
Leia mais...
 
Copyright © 2018-2022 Foto e Bike • Direitos reservados | Escreva-nos: blogfotoebike@gmail.com
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top