quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

Marcela Lima vai disputar temporada 2022 de MTB na Team Groove

Marcela Lima volta para a Team Groove após três anos - Foto: Team Groove / Captura de tela de vídeo no Instagram


Marcela Lima disputará a temporada de 2022 de mountain bike defendendo a Team Groove. A informação foi confirmada pela ciclista e pela Groove Bikes nesta quarta-feira, 29 de dezembro.

A ciclista teve passagem pelo Team Groove entre os anos de 2017 e 2018. Após três anos competindo pela Henrique Avancini Racing, Marcela Lima volta a integrar o time da Groove ao lado de Laurien Miranda e Leandro Donizete.

"Trabalho bem feito é orgulho no passado, tranquilidade no presente e certeza de um futuro", disse Marcela Lima.

"Para a temporada 2022 do MTB Brasileiro, vamos continuar apostando no poder e no potencial da juventude, com um time jovem, com nomes que já carregam inúmeras conquistas e são grandes promessas para o mundo do MTB", destacou a Team Groove.

Foto: Team Groove / Captura de tela de vídeo no Instagram
Leia mais...

Mathieu van der Poel pode ficar fora do Mundial de Ciclocross por causa de lesão



Mathieu van der Poel segue enfrentando problemas devido à lesão sofrida nas Olimpíadas de Tóquio, quando caiu aos 10 minutos de prova no Sakura Drop e abandonar a competição. Há chances de que a contusão não permita que o ciclista dispute o título de campeão mundial de ciclocross em janeiro.

No domingo (26 de dezembro) após a corrida da Copa do Mundo de ciclocross em Dendermonde, na Bélgica, Van der Poel voltou a se deparar com dores nas costas. A dor piorou durante a corrida em Heusden-Zolder (27 de dezembro) levando o ciclista a abandoar por precaução.

Exames médicos realizados na terça-feira revelaram um inchaço no disco intervertebral, o que significa que Mathieu van der Poel precisará deixar a bicicleta de lado temporariamente. Ainda não está claro quando o ciclista da Alpecin-Fenix vai retomar os treinos e rotinas de competição. "É frustrante, mas é o que é", disse Van der Poel.

Desde a queda durantes o XCO de Tóquio, o Van der Poel teve diversos altos e baixos provocados pela lesão. Inclusive, o ciclista não pôde participar do Campeonato Mundial de Mountain Bike de 2021, disputado em Val di Sole, por causa da mesma lesão nas costas.

"O problema já existe há algum tempo e estou um tanto aliviado por haver uma causa identificável que pode ser remediada com repouso e tratamento extras. Todos sabem que o Campeonato Mundial nos Estados Unidos é o primeiro grande objetivo de 2022, mas certamente não é o único nem o último", destacou Mathieu van der Poel.

Para o gerente da equipe Alpecin-Fenix, Christoph Roodhooft, a situação foi inesperada, mas o time vai dar prioridade à recuperação de Van der Poel para que o atleta possa encarar os desafios da temporada de 2022. 

"Obviamente, isso é um revés, mas não há motivo para pânico. Os médicos garantem-nos uma recuperação total e isso é uma prioridade no momento. Mesmo que isso levasse a ajustar as ambições para o Campeonato Mundial de ciclocross. A curto prazo, seria uma pena, mas 2022 oferece muitos desafios desportivos para os quais a prontidão física é a primeira condição", declarou Christoph.

Mathieu van der Poel está confiante no tempo de recuperação e ansioso pela temporada de 2022, mesmo havendo a possibilidade de não poder defender o título de campeão mundial de ciclocross.

"Quero me recuperar totalmente primeiro, sem pressão de tempo, para poder usar todas as minhas possibilidades. Portanto, só vou retomar a competição quando estiver totalmente pronto. Se eu chegar ao Campeonato Mundial (de Ciclocross), melhor ainda. Se não for o caso, estarei ansioso pela temporada de primavera na estrada", pontuou Mathieu van der Poel.

Foto: Alpecin-Fenix Cycling Team
Leia mais...

terça-feira, 28 de dezembro de 2021

Marcela Lima e Guilherme Müller deixam Henrique Avancini Racing após três anos na equipe

Marcela Lima e Guilherme Müller defenderam a Henrique Avancini Racing por três anos - Foto: Felipe Almeida / Henrique Avancini Racing


A Henrique Avancini Racing comunicou que os ciclistas Guilherme Müller e Marcela Lima encerram o ano de 2021 fora do quadro de atletas da equipe. A informação foi publicada nesta terça-feira, 28 de dezembro, nas redes sociais do time.

Ao falar sobre a trajetória de Guilherme Müller e Marcela Lima, a equipe recordou seu comprometimento com a evolução dos atletas e manifestou o desejo de sucesso para os dois ciclistas.

"O time Henrique Avancini Racing sempre teve como objetivo contribuir com o crescimento dos atletas que passam pela equipe e esperamos que esse seja o efeito no futuro de ambos. Marcela e Guilherme deixarão saudades em nosso time e com certeza seguirão seus caminhos acrescentando muito ao nosso esporte", afirmou a equipe.

Por enquanto, a Henrique Avancini Racing termina o ano de 2021 com apenas dois ciclistas: Ulan Galinski e Edson Rezende. Os nomes para completar o time para a temporada de 2022 de MTB ainda não foram divulgados.

Marcela Lima e Guilherme Müller defenderam a equipe por três anos


Marcela declarou que terá "muita admiração e carinho por todos" e disse ter vivido "experiências surreais" durante o período em que defendeu a Henrique Avancini Racing.

"Três grandes anos intensos representando a Caloi Avancini Team. Experiências surreais que vou levar para o resto da minha vida. Momentos que marcaram minha história e deixará rastro para sempre. Com o coração leve e agradecida por tudo que fizeram por mim", disse a atleta em suas redes sociais.

No dia 29 de dezembro, Marcela Lima foi anunciada como nova ciclista da Team Groove, equipe que ela volta a defender. 

Já Guilherme Müller recordou que foram três anos de parcerias entre Cannondale Brasil e Caloi Henrique Avancini Racing e agradeceu pelas lições e aprendizados.

"Hora de encerrar mais um ciclo! Foram 3 anos de parcerias entre Cannondale Brasil e Caloi Henrique Avancini Racing. Anos de grandes conquistas, lições e aprendizados. Muita gratidão por todos os momentos compartilhados. Muito obrigado pela torcida de todos. Vamos ver o que o futuro nos reserva", pontuou.

Foto: Felipe Almeida / Henrique Avancini Racing
Leia mais...

Calendário das provas de ciclismo MTB no Brasil em 2022

Calendário das provas de MTB 2022 - Foto: Davi Corrêa


Separamos aqui no blog Foto e Bike a lista das competições de mountain bike (MTB) divulgada pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) para o ano de 2022.

São várias competições MTB distribuídas ao longo do ano de 2022 para você se programar para participar ou mesmo assistir e torcer. E não podemos deixar de destacar o evento do ano: a etapa da Copa do Mundo de Mountain Bike que será realizada em Petrópolis (RJ), entre os dias 8 e 10 de abril.

Confira o calendário das competições de MTB para 2022


Janeiro

- 01/01/2022: Campeonato Brasileiro de MTB E-BIKE 2022 – local a ser definido
- 29/01/2022 até 30/01/2022: Internacional Estrada Real 2022 – XCO,  em Arcos (MG)

Março

- 05/03/2022 até 06/03/2022: Taça Brasil de MTB Cross Country 2022 – XCO, em Lavras (MG)
- 19/03/2022 até 20/03/2022: Taça Brasil de MTB Cross Country 2022 – XCO, em São Paulo
- 26/03/2022 até 27/03/2022: Internacional Estrada Real 2022 – XCO, em Itabirito (MG)

Abril

- 02/04/2022 até 03/04/2022: CIMTB Michelin 2022 - XCO/XCC, em Petrópolis (RJ)
- 08/04/2022 até 10/04/2022: Mercedes-Benz UCI MTB World Cup - XCO/XCC, em Petrópolis (RJ)
- 19/04/2022 até 23/04/2022: Brasil Ride Espinhaço 2022 – XCMS, em Conceição do Mato Dentro (MG)
- 30/04/2022 até 01/05/2022: Internacional Estrada Real 2022 – XCO, em Ouro Branco (MG)

Junho

- 17/06/2022: Desafio Internacional de Cerrado de MTB 2022 – XCC, em Goiânia (GO)
- 18/06/2022 até 19/06/2022: Internacional Estrada Real 2022 - XCC/XCM, em Tiradentes (MG)
- 18/06/2022 até 19/06/2022: Taça Brasil de MTB Cross Country 2022 – XCO, em Goiânia (GO)
- 25/06/2022: CIMTB Michelin 2022 - XCO/XCC, em Araxá (MG)

Julho

- 02/07/2022 até 03/07/2022: Sul Mineiro de Mountain Bike 2022 – XCO, em Lambari (MG)
- 23/07/2022 até 24/07/2022: Campeonato Brasileiro de MTB Cross Country 2022 - XCO/XCC, local a ser definido
- 30/07/2022 até 31/07/2022: Campeonato Brasileiro de MTB Down Hill 2022 - (DHI), em Simão Pereira (MG)
- 30/07/2022 até 31/07/2022: Taça Brasil de MTB Cross Country 2022 – XCO, no Rio de Janeiro

Agosto

- 06/08/2022 até 07/08/2022: CIMTB Michelin 2022 - XCO/XCC, em Congonhas (MG)
- 19/08/2022 até 21/08/2022: Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike XCM 2022, em Juiz de Fora (MG)
- 21/08/2022: Campeonato Brasileiro de MTB Maratona 2022 – XCM, em local a ser definido

Setembro

- 23/09/2022 até 25/09/2022: CIMTB Michelin 2022 - XCO/XCC/Junior Series, em Taubaté (SP)

Novembro

- 06/11/2022 até 12/11/2022: Brasil Ride Bahia 2022 – XCMS, em Porto Seguro (BA)

Foto: Davi Corrêa
Leia mais...

segunda-feira, 27 de dezembro de 2021

Prova de bike Storm Riders define Rei e Rainha da Marginal Pinheiros em janeiro

Bikes vão tomar conta da Marginal Pinheiros no Storm Riders - Foto: Divulgação


Atletas de elite e amadores apaixonados pelo ciclismo estarão pedalando juntos, em janeiro, na Marginal Pinheiros. A Storm Riders será realizada no dia 23 de janeiro de 2022 e fará parte das comemorações do aniversário da cidade de São Paulo, que completará 468 anos logo depois, no dia 25. A prova irá definir o Rei a a Rainha da Marginal Pinheiros, os mais velozes da disputa. A competição já está mobilizando as principais assessorias esportivas da capital paulista e a galera, com suas bikes, intensificará os treinos nas próximas semanas, em busca de bons resultados.

A prova de ciclismo de estrada, nas distâncias de 40 km (2 voltas) e 80 km (4 voltas), passará a integrar o calendário oficial de eventos da cidade, reunindo participantes de diversas idades, de 18 a mais de 70 anos. As inscrições já estão abertas e a organização vem iniciando um trabalho de divulgação junto aos principais pontos de treinos dos ciclistas de São Paulo, como a USP e a ciclovia da Margina Pinheiros. Quem quiser se inscrever, tem até o dia 18 de janeiro no site www.stormriders.com.br.

No primeiro lote, até dia 11 janeiro, o valor da inscrição é de R$ 329,00. No segundo, até 18 de janeiro, de R$ 359,00. A retirada dos kits pelos participantes será nos dias 21 e 22 de janeiro, em local e horário a serem informados pela organização no site do evento. Não haverá entrega de kits no dia do evento nem após a realização da competição.

"Entre os destaques da prova, vamos conhecer o Rei e a Rainha da Marginal, os mais velozes do dia. E estamos fazendo todo um trabalho de divulgação, junto aos amantes das bikes, mobilizando as assessorias, para que seja uma grande festa, com muita disputa, no aniversário de São Paulo", afirma Matheus Falconi, diretor da Sagaz Esportes, organizadora da Storm Riders.

Diferentes categorias em disputa na Storm Riders


Serão diversas categorias, divididas por idade, além da Elite, a primeira a largar, às 6h. A concentração dos atletas – a partir das 5h - e as largadas, por pelotões, estão marcadas para o Parque do Povo, onde será montada a arena do evento. De lá, os participantes seguirão para a Marginal, passando por cartões postais da cidade, atravessando a Ponte Estaiada.

A categoria Elite, no masculino e no feminino, será realizada somente na distância de 80 km. Por idade (18 a 29 anos, 30 a 34, 35 a 39, 40 a 44, 45 a 49, 50 a 54, 55 a 59, 60 a 64, 65 a 69 e 70+), os participantes poderão escolher os 40 km ou 80 km. Os cinco melhores de cada categoria nos 80 km e os três primeiros colocados nos 40 km receberão troféus. Haverá, ainda, troféu para a Volta Mais Rápida Geral, de 20 km (somente para a distância de 80 km).

A Storm Riders tem organização da Sagaz Esportes, com apoio da Prefeitura da Cidade de São Paulo e supervisão técnica da Federação Paulista de Ciclismo.

Foto: Divulgação
Leia mais...

domingo, 19 de dezembro de 2021

Sherman Trezza e Lukas Kaufmann são campeões da inédita Santander Brasil Ride Espinhaço

Sherman e Lukas cruzam linha de chegada - Foto: Marcelo Maragni / Santander Brasil Ride


A edição inédita da Santander Brasil Ride Espinhaço, prova de mountain bike por etapas de cinco dias, realizada em Conceição do Mato Dentro (MG), terminou na tarde deste sábado (18), coroando vencedores em 14 categorias. Em paralelo, teve ainda a realização da Maratona do Cipó, prova de um dia de duração. Na open e na feminina, as duplas Sherman Trezza/Lukas Kaufmann e Paula Gallan/Isabella Lacerda garantiram o lugar mais alto do pódio em suas categorias, respectivamente. Nas e-bikes, os líderes Andre Catatau e Isabella Ribeiro também confirmaram o título, sem grandes sustos na etapa final, com 37 km e 1.286 m de altimetria acumulada. Tiago Ferreira foi o destaque na solo, com o melhor tempo do acumulado após as cinco etapas.

Com mais de 24 minutos de folga na liderança da open, Sherman Trezza e Lukas Kaufmann apenas administraram a vantagem e assistiram seus adversários tomarem frente na disputa. Assim, viram Ricardo Pscheidt e Leandro Donizete assumirem o protagonismo por boa parte dos 37 km, até que nos quilômetros finais chegaram na dupla campeã das Américas. A chegada dos quatro foi praticamente junta, Ricardo e Leandro cruzaram o pórtico em 1h49min08 e Sherman e Lukas em 1h49min18. A terceira posição ficou com Raphael Mendes e Jhefferson Paiva. No acumulado, Carlos Henrique Paixão e Marcus Silva garantiram o lugar no pódio. 

Festa para a dupla que ganhou quatro das cinco etapas na competição. "Vi passar um filme da minha vida. Ainda não estou acreditando. Primeira edição da Santander Brasil Ride em 2010, na Bahia, foi minha primeira vez aqui no País. Um mundo novo e agora, 11 anos depois, ganhei meu primeiro título na ultramaratona Brasil Ride. Aprendi muito nesses anos todos e me dediquei, então estou muito feliz por essa conquista", comemorou Lukas Kaufmann.

"Estou orgulhoso. Uma honra vencer esse título. Uma retribuição dentro de uma competição que somou tanto para o meu desenvolvimento como atleta. Somou também para elevar o patamar do mountain bike nacional para outro nível. Ter vencido na Bahia em 2013 e no Espinhaço em 2021, logo na estreia, para mim é especial. Esta prova veio para ficar, porque a região dispensa comentários. O verdadeiro mountain bike está aqui. Muita trilha e montanhas. Meu nome está escrito nas duas e não tem como eu estar mais feliz, ainda mais ao lado de um cara como o Lukas. Ele é muito especial, como atleta e como pessoa, um grande amigo", contou Sherman.

Campeões da America Men

Quem acompanha as provas do Circuito Santander Brasil Ride durante o ano, acostumou-se a ver sempre os atletas Ricardo Pscheidt e Leandro Donizete marcando presença. Ambos têm histórias especiais com o evento. Enquanto Pscheidt foi o primeiro brasileiro a vencer uma etapa da ultramaratona na Bahia, em 2010, Donizete se consagrou ao conquistar o título do Festival Santander Brasil Ride Botucatu, em 2020.

"Sabíamos que seria uma prova rápida, apesar do cansaço acumulado. Estávamos cientes de que todos tentariam beliscar essa vitória. Primeiro o Lucas Motta e o Rodrigo Nascimento tentaram, e fomos juntos. Depois, na primeira trilha técnica nós abrimos. Na metade final, os líderes da competição chegaram em nós dois. Mesmo assim, persistimos e nas últimas subidas aceleramos e conseguimos a vitória. Venci na última etapa de 2010, na Chapada Diamantina, e agora, 11 anos depois, venci também a última no Espinhaço", disse Pscheidt.

"Quando Pscheidt e eu decidimos vir para o Espinhaço, sabíamos que seria difícil, principalmente porque eu vinha de uma sequência de provas muito grande. Fizemos sempre nosso ritmo e conseguimos crescer nos últimos dias. A etapa final era difícil e acirrada, porque muitas duplas não tinham o que perder. No final, garantimos a vitória. Minha primeira em uma ultramaratona da Santander Brasil Ride. Estou muito contente", vibrou Donizete.

Disputa feminina


A disputa entre as mulheres repetiu o enredo dos homens. Enquanto as vice-campeãs Marcella Toldi e Fabiana Brandão venceram pela primeira vez na competição, Paula Gallan e Isabella Lacerda apenas administraram a ótima vantagem, de 35 minutos, para garantirem o título inédito na carreira. Marcella e Fabiana ficaram com o título das Américas. O top 3, do dia e geral, teve ainda Letícia Cândido e Naima Diesner, da Alemanha.

"A vantagem era boa, mas largamos para fazer o nosso melhor. Em uma prova de estágio, sabemos que tudo pode acontecer. Cuidamos do equipamento, não tivemos quedas. Muito feliz pelo título. Minha parceira é mais forte do que ela pensa. Pode acreditar mais, que ela é uma grande atleta. Feliz demais por ter feito essa dupla com ela. Amizade, respeito e ajuda entre nós duas, esta foi a marca", comemorou Isabella Lacerda.

"Tive muita sorte de ter a Isabella ao meu lado. Ela é uma grande atleta, me ajudou muito a tirar meu melhor nesses cinco dias", enalteceu Paula. "Esta foi a minha quinta vez em uma prova da Santander Brasil Ride, concluída com chave de ouro. Voltarei para casa com as energias renovadas", disse Paula Galan.

Campeãs da America Women


Para Marcella Toldi e Fabiana Brandão, defender a segunda colocação era mais importante do que tentar buscar o título geral entre as mulheres, uma vez que a distância para as líderes Paula e Isabella era de 35 minutos, enquanto para Letícia e Naima era de pouco menos de 15 minutos.

"A estratégia era marcar a Letícia e a Naima, para garantirmos o vice-campeonato. Porém, no início elas e as líderes geral abriram, então resolvemos ir no nosso ritmo. Economizamos e administramos, até que, quando vimos, passamos a Paula e a Isabella, e depois a Letícia e a Naima. Não fomos agressivas, respeitamos bastante elas, mas fomos num ritmo ótimo. Um dia bom em cima da bike. Finalmente", relatou Marcella.

"Fiquei muito feliz. Senti que minha parceria merecia esse triunfo na etapa, porque ela estava muito forte. Ganhar uma etapa foi bem legal. Fechamos com chave de ouro. Agora, é nos preparar para voltarmos mais fortes na próxima edição da prova", comentou Fabiana. A próxima edição da Santander Brasil Ride Espinhaço já tem data marcada: entre os dias 19 e 23 de abril de 2022, em Conceição do Mato Dentro.

Campeões da e-bike


A primeira ultramaratona de mountain bike com e-bikes coroou os ciclistas Andre Catatau e Isabella Ribeiro como campeões. Entre os homens, o top 3 geral do acumulado teve ainda os ciclistas Erick Bruske, como vice-campeão, e Andre Bretas, em terceiro lugar.

"É fantástico. Nunca tinha ido para a prova com o objetivo de ser campeão, mas sim de me divertir e conhecer novos lugares. Aqui tivemos lindas trilhas, o verdadeiro mountain bike. As provas da Santander Brasil Ride são incríveis. Pude ganhar de atletas gigantes, algo fenomenal. Eu tinha uma certa folga na liderança, então fui conservador. Deu certo, saí com o título. Agradeço a todos pela oportunidade", disse Catatau.

"Esta etapa decisiva foi uma prova super rápida. Outra vez, com bastante subida. No começo estava bem difícil, porque o terreno estava escorregadio. Assim, tomei bastante cuidado para completar e não comprometer os cinco dias. Foi demais, trilhas excelentes. Estou bastante feliz por fechar com chave de ouro", contou Isabella.

Top 5 da etapa


Open:
1-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 1h49min08
2-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 1h49min18
3-Raphael Mendes/Jhefferson Paiva - 1h51min36
4-Lucas Motta/Rodrigo Nascimento - 1h53min47
5-David Rosa (POR)/Vitor Bento - 1h55min55

Feminina:
1-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 2h14min52
2-Paulla Gallan/Isabella Lacerda - 2h20min20
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 2h22min42
4-Julyana Machado/Sabrina Gobbo - 2h34min46
5-Renata Spindola/Miriam Shimada - 3h25min09

Top 5 acumulado após 5 etapas


Open:
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 10h21min57
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 10h46min09
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Silva - 11h07min38
4-David Rosa (POR)/Vitor Bento - 11h16min46
5-João Paulo Firmino/Diogo Malagon - 11h33min24

Feminina:
1-Paulla Gallan/Isabella Lacerda - 13h51min14
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 14h21min34
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 14h43min45
4-Julyana Machado/Sabrina Gobbo - 15h51min16
5-Renata Spindola/Miriam Shimada - 21h00min21

Vencedores das 14 categorias

Open: Lukas Kaufmann e Sherman Trezza
Feminino: Paula Gallan e Isabella Lacerda
América homens: Ricardo Pscheidt e Leandro Donizete
América mulheres: Marcella Toldi e Fabiana Brandão
E-bike masculina: André Catatau
E-bike feminina: Isabella Ribeiro
Mista: Koren Dias e Carolina Coleman
Máster: João Silva e Euso Silva
Nelore: Osmar Barbosa e Mark Norberto
Corporativa: Célio Oliveira, Anderson Molinari e Raone Gonçalves
Guarinis: Gustavo Astolphi e Paulo Jeveaux
Ironrider: José Filho e Marcos Branco
Solo masculina: Tiago Ferreira 
Solo feminina: Tatiana Furlan

Foto: Marcelo Maragni / Santander Brasil Ride
Leia mais...

sexta-feira, 17 de dezembro de 2021

THE ROCK Reserva do Japi é realizado em clima festivo, em paraíso ecológico

 
Foto: Paulo Prezoto

O THE ROCK Reserva do Japi, competição realizada nos dias 10 e 11 de Dezembro na Fazenda Guaxinduva, um paraíso do ecoturismo encravado na Reserva do Japi, em Cabreúva, foi um verdadeiro sucesso. A partir desta edição, o THE ROCK passou a ser organizado pelo ALPHA Cycling Club, novo projeto de Felipe Tambasco e de Tiago Silva que reúne diversas vantagens para seus associados. 

O fim de semana para lá de especial começou no sábado, com a realização da primeira prova de Trail Running organizada pelo ALPHA Cycling Club. No domingo, o mesmo trajeto de 8,5 km foi usado para uma competição de MTB onde os atletas pedalaram por quatro horas, com a vitória ficando para quem completasse a maior quilometragem neste tempo. 

O vencedor do MTB,  Carlos Eduardo “Kona”, foi o único a completar sete voltas no duro percurso preparado pela organização - um verdadeiro show de singles com altimetria desafiadora e trechos com descidas espetaculares.

“Até  agora não acredito que fui campeão desta prova maravilhosa, organização impecável, circuito sem palavras, agradeço a todos envolvidos, todo apoio, todos que acreditaram e desacreditaram”, comentou o vencedor da competição.

“Estava sem pedalar há um tempo e corri com a bike de um amigo. Antes da prova estava preocupado, mas logo depois da largada coloquei um ritmo e fui abrindo vantagem, sempre com o estímulo da galera. Cheguei a abrir 15 minutos mas continuei forte mesmo com o pessoal falando para eu diminuir. No fim foi uma ótima prova, conquistei primeiro geral, primeiro na categoria, sendo o único com 7 voltas no circuito”, complementou Carlos Eduardo.

Clima de descontração e amizade na Fazenda Guaxinduva


Fazendo parte da mesma família há 5 gerações, e com mais de 100 anos de história, a Fazenda Guaxinduva foi um palco bem diferente para o THE ROCK. Afinal, além de ser extremamente bonito e repleto de natureza, o local ainda tem infraestrutura completa, contando inclusive com restaurante e espaços variados.

Foto: Paulo Prezoto


Com isso, os participantes das provas de Trail Running e de MTB e também seus acompanhantes puderam não só curtir a prova, mas também momentos de total descontração.

“Para nós é sempre um grande prazer compartilhar este espaço, que nossa família cuida há mais de um século. É nossa casa e cuidamos com muito carinho e amor. Então, quando alguém faz um evento aqui, participamos junto, fazemos todo necessário para que seja um sucesso”, comentou Marcela Traldi Donati, uma das proprietárias da Fazenda.

“Já sediamos eventos com mais de mil e setecentos atletas, mas este foi muito especial, porque foi o primeiro depois da reabertura da pandemia. O dia estava lindo, o que contribuiu para satisfação dos atletas, ao desfrutarem das lindas paisagens existentes”, complementou.

O clima agradável, a infraestrutura, as trilhas de alta qualidade e o fator diversão com belas paisagens agradaram a todos, sendo motivos de elogios dos presentes, e também dos patrocinadores da prova.

“Não tenho como não falar muito bem, porque é uma prova que sou fã e já corri como atleta e cliente. A prova estava bem organizada, com bastante pontos de staff, hidratação nos lugares corretos, paisagens incríveis e um ambiente seguro, que proporciona uma pedalada mais segura para o atleta, e um ambiente confortável para a família que vai acompanhar”, comentou Wellington Moreira, proprietário da S2 Bike Shop Alphaville São Paulo. 

“O fato do atleta cruzar duas vezes com o público a cada volta também é muito positivo, e faz com que o atleta se sinta mais motivado, já que nós amadores gostamos de estar perto de quem a gente gosta, para compartilhar a emoção com que está assistindo”, complementou. 

Foto: Paulo Prezoto


“Fiquei extremamente feliz com o final de semana, com a estréia do Trail Running e com a fazenda Guaxinduva. É um local com enorme potencial para diversos futuros eventos. Os atletas adoraram o percurso duro e divertido, com singles alucinantes. Isso faz com que a gente acredite nesta nova locação”, comentou Felipe Tambasco.

“Agradeço a todos os patrocinadores e os atletas presentes, que ficaram super felizes com o retorno do THE ROCK. Esta edição especial no finalzinho de 2021 serve como um aperitivo do que teremos em 2022. Queremos fazer cinco eventos: três na tradicional Geocal Minerações em Santana de Parnaíba e dois na Fazenda Guaxinduva”, finalizou Tambasco. 

Fotos: Paulo Prezoto
Leia mais...

Campagnolo Corsa: sistema que revolucionou os câmbios no ciclismo de estrada

Gino Bartali trocando de marcha com o Câmbio Corsa


Outro dia publicamos nas redes sociais do blog Foto e Bike um vídeo pequeno de uma pessoa mostrando a troca de marchas em um câmbio antigo de bicicleta. Após a publicação, alguns seguidores enviaram mensagens perguntando sobre aquele câmbio. Então, vamos falar um pouquinho sobre aquele Campagnolo Corsa.

Uma coisa que não pode faltar nas bicicletas é um bom câmbio, e a Campagnolo tem tradição na criação desse componente. Porém a última coisa que se pergunta é de onde veio a ideia para criar esse dispositivo tão indispensável à maioria das disciplinas do ciclismo.

A necessidade é a mãe da invenção, diz o ditado. E parece que foi seguindo essa expressão que o italiano Tullio Campagnolo se inspirou para criar o Corsa, o sistema que revolucionou os câmbios no ciclismo de estrada. No século XX, a maioria das trocas de marchas eram feitas retirando a roda traseira da bicicleta e invertendo a posição, pois em cada lado da roda havia um pinhão: um pesado e outro leve.

Sistema de quick-release patenteado por Campagnolo


Dizem que certa vez Tullio Campagnolo não conseguiu retirar a roda da bicicleta numa situação de temperatura muito baixa, com neve e com as mãos congelando de frio. Motivado por isso, em 1930 ele projetou o primeiro sistema de quick-release para bicicletas, cujo exemplar está na foto acima.

Dez anos mais tarde, em 1940, Campagnolo inventou um mecanismo que utilizava o sistema de quick-release para fazer a troca de marchas sem precisar descer da bicicleta e retirar a roda. Nascia aí o Câmbio Corsa da Campagnolo, a revolução no sistema de câmbios no ciclismo de estrada.



A foto acima mostra ciclista italiano Gino Bartali, compatriota de Tullio Campagnolo, trocando de marcha com o Câmbio Corsa em um trecho de montanha íngreme durante a corrida que venceu no Tour de France de 1948.



O sistema era simples: uma haste final de metal girava uma peça e esta empurrava a corrente para o pinhão superior ou inferior. O detalhe é que para a troca acontecer o ciclista tinha que pedalar para trás.

É legal de vez em quando a gente parar para saber um pouco sobre as histórias que envolvem o esporte que admiramos. E olha que tem muita história sobre ciclismo. Aqui no blog Foto e Bike já falamos sobre Alfred Letourneur e seu grande feito com a histórica bicicleta Schwinn Paramount Red Devil. Em breve traremos nova histórias. Aguarde!
Leia mais...

Sherman Trezza e Lukas Kaufmann vencem etapa rainha da Brasil Ride Espinhaço

Trezza e Kaufmann seguem na liderança da Brasil Ride Espinhaço - Foto de destaque: Nicolas Ferri / Santander Brasil Ride


Sherman Trezza e Lukas Kaufmann confirmaram a terceira vitória seguida na Santander Brasil Ride Espinhaço após vencerem a Etapa Rainha da competição nesta quinta-feira (16), após percorrerem os 85 km e 2.788 m de altimetria acumulada em Conceição de Mato Dentro (MG) sem serem incomodados pelos principais adversários na open.

Já na elite feminina da Santander Brasil Ride Espinhaço o cenário foi diferente. Paula Gallan e Isabella Lacerda venceram mais uma, contando com a falta de sorte de Letícia Cândido e da alemã Naima Diesner, que lideravam, mas tiveram problemas mecânicos na última hora de prova.

Na terceira de cinco etapas da Santander Brasil Ride Espinhaço, o percurso contou com a passagem pela Cachoeira do Tabuleiro, a de maior altura do Estado de Minas Gerais e terceira maior do Brasil, com 275 metros, e também pelo Parque Natural Municipal do Tabuleiro. Um visual deslumbrante do começo ao fim, sendo comparado a paisagem de cinema pelo ciclista português Tiago Ferreira, campeão mundial e bicampeão olímpico.

"Precisamos dar os parabéns para quem pensou e desenhou esta etapa, porque estava realmente espetacular. É uma das etapas mais bonitas e completas que eu fiz até hoje, desde que faço mountain bike. Estava realmente incrível. Do início ao fim, parecia que estávamos pedalando em uma tela de cinema. O ponto de hidratação no ponto mais alto da etapa, era fantástico. Etapa Rainha perfeita. A organização está de parabéns, por nos proporcionar um dia inesquecível", avaliou Tiago Ferreira.

Como foi a disputa na open da Santander Brasil Ride Espinhaço?


Sherman Trezza e Lukas Kaufmann demonstraram que são realmente os favoritos ao título da competição inédita realizada em Conceição do Mato Dentro. A dupla liderou do começo ao fim a Etapa Rainha, sem dar chance para o azar. Após passarem com 7 minutos de vantagem no ponto de hidratação do km 63, eles finalizaram os 85 km da etapa em 4h25min42, mais de 13 minutos à frente de Ricardo Pscheidt e Leandro Donizete - 4h39min25. Agora, Sherman e Lukas lideram com folga e 23min10 para Ricardo e Leandro.

Camisetas amarela e branca lideram escapados (Marcelo Maragni / Santander Brasil Ride)
Camisetas amarela e branca lideram escapados - Foto: Marcelo Morgani / Santander Brasil Ride 

"Essa etapa valeu o ingresso. A região é fantástica e a prova foi duríssima, porque apesar das subidas, quando chegamos no planalto em cima da montanha estava muito pesado. Muitas poças d'água e bastante areia no percurso. Foi desgastante demais. Sofri como nunca neste dia", disse Sherman. "O Lukas fez a diferença. Ele estava muito bem. Agora vi o que ele passou na Santander Brasil Ride Bahia, quando correu lá com a costela quebrada. Agora sou eu lesionado, com meu corpo gastando muita energia para eu poder me recuperar. No km 65 até o fim comecei a sofrer, mas nos quilômetros finais eu não me lembro de ter sofrido tanto em 20 anos de ciclismo", completou.

"Verdadeira Etapa Rainha. Custei a encaixar um bom ritmo no início e aí o psicológico travou. No asfalto, o corpo reagiu e fui para frente para ditar o ritmo. Na subida mais longa, escapamos com o Pscheidt e o Donizete, que se demonstraram muito fortes. Na descida longa, conseguimos tirar uma vantagem boa e passar com folga no ponto de cronometragem (km 63). Tentei acalmar o Sherman por causa das dores, porque sei da importância de ser um parceiro paciente e que motiva", comentou Lukas.

Disputa feminina


Entre as mulheres, Letícia Cândido e Naima Diesner ensaiaram uma reação, mas acabaram perdendo a liderança com problemas técnicos nas bikes de ambas. As duas passaram no km 63 (ponto de cronometragem) com cerca de 4 minutos de vantagem para as duplas Marcella Toldi/Fabiana Brandão e Paula Gallan/Isabella Lacerda. Quilômetros depois, foram ultrapassadas por ambas as equipes, para terminarem no top 3. Pelo terceiro dia seguido, Paula e Isabella triunfaram na Serra do Espinhaço, com o tempo total de 5h52min12. Agora, elas ampliaram a vantagem para 10min47 em relação a Marcella e Fabiana.

Chegada das líderes do feminino (Nicolas Ferri / Santander Brasil Ride)
Chegada das líderes do feminino - Foto: Nicolas Ferri / Santander Brasil Ride


"Etapa linda. Uma cachoeira incrível. Um dia que exigiu raça e cabeça. Estávamos minutos atrás das líderes e vice-líderes do dia, mas sabíamos que tinha muito até o final. Na trilha técnica da cachoeira, encostamos nas meninas (Marcella e Fabiana) e começamos acreditar. Quando vimos, passamos pela Letícia e Naima, que estavam paradas consertando a bike. Brigamos com o corpo e com a cabeça, porque ainda faltavam dez quilômetros. Chegamos bem, embora a Paula tenha tomado um tombo numa descida. Ela foi guerreira e estou bastante feliz de ter uma parceira como ela", disse Isabella

"Minha quinta vez na Santander Brasil Ride. Já fiz quatro vezes a ultramaratona de Porto Seguro e, com certeza, esse foi o dia mais duro de mountain bike na minha vida. Levei meu corpo ao limite, chegando um momento na prova que eu só queria cruzar a linha de chegada. Nem queria mais pensar em resultado. Fiquei próxima do meu limite e não sei o que seria de mim sem a Isabella. Cheguei ao fim muito emocionada", contou Paula.

Experiente ciclista, tendo inclusive vencido a Santander Brasil Ride Bahia ao lado da própria concorrente Isabella Lacerda, Letícia Cândido relatou as dificuldades encontradas neste terceiro dia de competição. "Foi emoção do início ao fim. Estávamos focadas e entrosadas, mas tivemos problemas mecânicos, primeiro a Naima, depois eu. Continuamos do jeito que deu, nos equilibrando para completar. Numa prova desta, tudo pode acontecer. Embora a primeira vitória não tenha vindo, estamos felizes por ter completado com tantas dificuldades", comentou Letícia.

E-MTB da Santander Brasil Ride Espinhaço com novo líder 


A disputa masculina do E-MTB teve mudança de liderança nesta quinta-feira. Após liderar com 4min29 de vantagem, Erick Bruske enfrentou problemas na Etapa Rainha e agora está a nove minutos do novo líder, Andre Lima, o Catatau. Ao arriscar em sua estratégia, André Bretas caiu da terceira para a quinta colocação, atrás agora de Andre e Erick, além de Giuliano Tonioli e Mateus Ferraz.

"Uma das etapas mais bonitas que pedalei na minha vida. Fantástica, por conta das trilhas e por andar em cima da serra. Em termos de estratégia, deixei uma bateria reserva no ponto de apoio do km 24 e larguei com uma bateria mais leve, que acabou me ajudando a desenvolver melhor  ritmo. Fiz bem a troca e acelerei até o máximo no final. O Erick teve problema na troca da bateria dele, o que me favoreceu bastante. Agora, lidero com uma vantagem boa", contou Catatau.

Campeão de estrada no MTB


Ciclista profissional de estrada há dez anos, Antonio Garnero, o Pippo, fez em Conceição do Mato Dentro a sua estreia em provas por estágio no mountain bike. Embora tenha sido campeão brasileiro na elite, em 2014, e representado a seleção brasileira, o atleta não esconde que não tem sido uma tarefa fácil se aventurar nas trilhas de terra da região do Espinhaço.

"Ciclismo faz parte integral da minha vida, o que faço para continuar vivendo com vigor e saúde. Esta é minha primeira competição de verdade no MTB. Sempre gostei dessa vertente para espairecer e fugir dos automóveis, porque eu vivia na estrada. Essa ideia de competir com tanta dificuldade técnica é nova para mim, em minha carreira, e bastante desafiadora", relatou Pippo.

"É uma corrida muito técnica. Você precisa estar bem treinado e vir com foco. Nos trechos de single track (trilhas estreitas), não basta estar bem fisicamente, que é o caso do ciclismo de estrada. Tem que ir preparado para encarar todas as condições. Pegamos uma chuva do começo ao fim na etapa 2, um mar de lama dantesco. Mas, é isso o mountain bike. Um esporte em que você aprecia a sua beleza do jeito que ele é", finalizou.

Top 5 da etapa na open e na feminina:


Masculino
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 4h25min42
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 4h39min25
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Silva - 4h42min31
4-David Rosa (POR)/Vitor Bento - 4h52min59
5-Lucas Motta/Rodrigo Nascimento - 4h59min02

Feminino
1-Paula Gallan/Isabella Lacerda - 5h52min12
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 5h59min17
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 6h05min41
4-Julyana Rodrigues/Sabrina Gobbo - 6h37min29
5-Renata Spíndola/Miriam Shimada - 8h30min27

Top 5 acumulado após três etapas:


Masculino
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 7h22min11
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 7h45min21
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Silva - 7h52min26
4-David Rosa(POR)/Vitor Bento - 8h07min08
5-João Firmino/Diogo Malagon - 8h16min43

Feminino
1-Paula Gallan/Isabella Lacerda - 9h41min52
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 9h52min40
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 10h09min29
4-Julyana Rodrigues/Sabrina Gobbo - 10h56min14
5-Renata Spíndola/Miriam Shimada - 13h58min40

Foto de destaque: Nicolas Ferri / Santander Brasil Ride
Leia mais...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Líderes da elite repetem vitória na segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço

Início da segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço - Foto: Marcelo Maragni / Santander Brasil Ride


A segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço, realizada nesta quarta-feira (15), em Conceição do Mato Dentro (MG), com passagem pelo histórico povoado de Córregos, e as duplas formadas por Sherman Trezza/Lukas Kaufmann e Paula Gallan/Isabella Lacerda mantêm as camisas de líderes de suas categorias.

Sherman Trezza e Lukas Kaufmann completaram os 50,6 km e 1.760 m de altimetria da segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço em 2h12min58. Já Paula Gallan e Isabella Lacerda cruzaram o pórtico de chegada em 2h53min47. As duas duplas já haviam vencido o prólogo no dia anterior.

O percurso da segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço teve a primeira metade composta por estradões, o que deixou o início bastante rápido. No km 30, os atletas enfrentaram a serra principal da etapa, para em seguida descerem em trilhas de single track (estreitas). No km 26, Sherman e Lukas lideravam com 1min16 de vantagem para Ricardo Pscheidt e Leandro Donizete, seus principais perseguidores. Ao final, conseguiram aumentar a vantagem para 7min28segundos em relação a Ricardo e Leandro, que concluíram a etapa em 2h20min26 em segundo lugar. Carlos Henrique Paixão e Marcus Silva fecharam o pódio, em 2h21min55, na terceira posição.

"Etapa rápida, porém mais difícil do que eu esperava. O terreno estava pesado e tivemos um sobe e desce o tempo todo. A serra também foi bem difícil", comentou Lukas. "Foi uma etapa que favoreceu nossa dupla, porque estamos com técnica e fluidez boas. Estamos nos surpreendendo com a forma que estamos apresentando após competirmos intensamente na Santander Brasil Ride Bahia, há pouco mais de um mês e pelo fato de o Sherman ter sofrido uma forte queda há duas semanas. Estou feliz demais por tudo isso", completou Lukas.

"O início foi rápido e simples, com apenas uma descida mais difícil porque estava bastante liso o terreno. A parte de sobe e desce era para ser mais tranquila, mas pelo excesso de lama foi realmente duro. No km 30, chegamos bem desgastados. Lukas e eu gostamos de andar nessas condições. Descemos um trecho técnico, com muita lama, e depois veio a subida final para chegar na arena. Abrimos uma boa vantagem nesse trecho final, cumprindo muito bem o planejamento traçado", revelou Sherman.

Agora, Sherman e Lukas tem a camiseta amarela com o tempo acumulado 2h56min28, contra 3h05min55 de Ricardo e Leandro, que ocupam a primeira colocação na disputa das Américas. O terceiro lugar no top 3 agora é de Carlos Henrique Paixão e Marcus Silva, com 3h09min55. João Paulo Firmino e Diogo Malagon ocupam a quarta posição, com 3h13min50, enquanto o português David Rosa e Vitor Bento estão em quinto, com o total de 3h14min09.

"Foi uma etapa dura, porque a chuva e o barro deixaram tudo mais pesado. O ponto alto foi a descida da trilha no final, muito bem feita. Foi o mountain bike raiz mesmo. Um dia bem legal, que com certeza agradou a todos", comentou Ricardo Pscheidt. "Etapa foi rápida e agitada no início. Tivemos uma primeira subida e na descida estava bem liso, ou seja, o pelotão se quebrou e em seguida reconectou-se. Daí para frente, ritmo alto, sempre com cuidado em termos físicos e de equipamento. Lama, barro, mas terminamos bem e seguimos em segundo lugar no geral", contou Leandro Donizete.

Elite feminina da segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço


Entre as mulheres, o enredo foi parecido. Paula Gallan e Isabella Lacerda não foram incomodadas por suas adversárias e lideraram na passagem do km 26. Ao final do dia, cruzaram a linha de chegada em 2h53min47, para ganhar outra etapa, com lugar de Marcella Toldi e Fabiana Brandao outra vez na segunda colocação, em 2h54min17. Letícia Cândido e a alemã Naima Diesner fecharam o top 3, em 3h01min51, repetindo o pódio do primeiro dia na elite feminina. 

Chegada de Paula Gallan e Isabella Lacerda - Foto: Mario Jordany / Santander Brasil Ride
Chegada de Paula Gallan e Isabella Lacerda - Foto: Mario Jordany / Santander Brasil Ride


"Etapa dura. Muita lama, ou seja, deixando o terreno pesado. A prova exigiu muita força, por isso estamos bem felizes com a vitória. Entregamos tudo que podíamos", resumiu Isabella. "Estamos respeitando uma a outra, com a sintonia boa. Isso que é importante em uma prova como a Santander Brasil Ride. A Paula é bem forte e estou feliz de estar com ela. Vamos dar o nosso melhor para segurarmos esta camiseta de líder até o sábado (18), último dia de competição", avaliou Isabella.

"Fiz força do começo ao fim. Minha parceira me ajudou bastante, porque sofri demais. Muitas subidas duras, trilhas incríveis. O percurso molhado dificultou, mas isso é o mountain bike. Por todos esses motivos, fico muito feliz com mais essa vitória aqui em Conceição do Mato Dentro", completou Paula, que lidera ao lado de Isabella com 3min42 de vantagem para Marcella e Fabiana, donas da camiseta azul de líderes das Américas. Letícia e Naima correm por fora na disputa do título, com 14 minutos de desvantagem para as donas da camiseta laranja.

Tiago Ferreira segue líder na solo


O português Tiago Ferreira segue na primeira colocação da categoria solo, novidade no circuito da Santander Brasil Ride quando o assunto é ultramaratona. Com o tempo acumulado de 3h10min28, Ferreira tem o quarto melhor tempo entre todas as equipes de bicicletas não assistidas.

"Diferente do prólogo, de apenas 16 km, sabia que nesta etapa deveria dosar melhor o ritmo. Nos primeiros 30 minutos consegui ir com os ponteiros, mas aí senti que estava completamente fora de condições físicas para acompanhá-los. Assim, procurei um pelotão para me encaixar e procurei apenas desfrutar das trilhas. O terreno estava pesado, com lama, mas foi possível aproveitar o pedal", comentou Ferreira, ciclista que acumula os títulos de campeão mundial e de bicampeão europeu.

Bruske e Ribeiro lideram na e-bike


Assim como ocorreu nas elites masculina e feminina, na disputa das e-bikes Erick Bruske e Isabella Ribeiro também repetiram o triunfo da primeira etapa. 

"Etapa estratégica, por conta da administração de bateria. Pegamos bastante lama e nos separamos bem dos atletas que não tinham bikes elétricas. Abri vantagem logo no início, que era o que eu gostaria de fazer. Por conta das condições climáticas, cuidar do equipamento era a principal preocupação. Tínhamos que nos adaptar bem na pilotagem e o mais difícil ficou para o final, onde consegui abrir a maior vantagem na liderança", contou Bruske.

Top 5 das elites na segunda etapa da Santander Brasil Ride Espinhaço


Masculina
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 2h12min58
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 2h20min26
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Slva - 2h21min55
4-David Rosa (POR)/Vitor Bento - 2h25min20
5-João Paulo Firmino/Diogo Malagon - 2h25min40

Feminina
1-Paula Gallan/Isabella Lacerda - 2h53min47
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 2h54min15
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 3h01min51
4-Julyana Rodrigues/Sabrina Gobbo - 3h16min48
5-Renata Spindola/Miriam Shimada - 4h08min27

Top 5 acumulado das elites da Santander Brasil Ride Espinhaço


Masculina
1-Sherman Trezza/Lukas Kaufmann - 2h56min29
2-Ricardo Pscheidt/Leandro Donizete - 3h05min55 
3-Carlos Henrique Paixão/Marcus Slva - 3h09min55
4-João Paulo Firmino/Diogo Malagon - 3h13min50
5- David Rosa (POR)/Vitor Bento - 3h14min09

Feminina
1-Paula Gallan/Isabella Lacerda - 3h49min40
2-Marcella Toldi/Fabiana Brandão - 3h53min23
3-Letícia Cândido/Naima Diesner (ALE) - 4h03min47
4-Julyana Rodrigues/Sabrina Gobbo - 4h18min45
5-Bárbara Domingues/Gabriela Vasconcelos - 5h26min41

Foto de destaque: Marcelo Maragni / Santander Brasil Ride
Leia mais...

Assinantes do Strava ganham desconto em clube de ciclismo do Rio de Janeiro

Rio Cycling conta com estrutura para ciclistas -  Foto: Rio Cycling / Divulgação


O Strava e o clube de ciclismo Rio Cycling fecharam uma parceria e a partir de dezembro os usuários que são assinantes do aplicativo terão descontos para participar do clube, que oferece estrutura para atletas e não atletas.

Segundo o fundador do Rio Cycling Daniel Kullock, há vários serviços e também é possível customizar um de acordo com o interesse de cada ciclista. Para quem mora no Rio e já pedala, o clube se reúne para treinar 4 vezes por semana em locais e horários pré-estabelecidos, sempre com toda estrutura de apoio, e os atletas são divididos em 4 pelotões diferentes (iniciante, intermediário, avançado e race).

Para quem quer começar, primeiro há uma aula teórica em que professores especializados explicam detalhes da bike, como sinalizar e se comportar num pelotão. Não precisa ter equipamento, já que o clube aluga capacete e bicicleta, por exemplo. 

"Na aula prática, ensinamos técnicas de ritmo, subida, como frear em descida e, principalmente, a ser um ciclista consciente, o que acredito nos diferenciar de outros clubes. Se o aluno curtir, aí sim o ajudamos a comprar uma bicicleta", explica Daniel.

Para quem está de passagem pela cidade do Rio de Janeiro, as opções vão desde day ride (com um ciclista pedalando junto de acordo com a sua necessidade e nível) a training camp  (quando o clube programa um fim de semana ou feriado prolongado de pedais e atividades para curtir o Rio), além de escapes (pedais longos para cidades vizinhas) e mini camps (feitos sob medida para um pequeno grupo).

Os assinantes do Strava terão 20% de desconto nos serviços do Rio Cycling, que incluem  gregários especializados, professores graduados, pedais com total apoio, teste rides de bikes Sense/Swift Carbon e óculos HB, descontos nas marcas parceiras e viagens.

"Nosso lema é 'ninguém fica pra trás', então a galera se desafia a viver novas aventuras. Se tiver algum problema com a bike ou não aguentar, o carro de apoio está sempre recheado de cerveja ou mate e pronto para trazê-lo de volta pra casa", finaliza Daniel.

Foto: Rio Cycling / Divulgação
Leia mais...
 
Copyright © 2018-2022 Foto e Bike • Direitos reservados | Escreva-nos: blogfotoebike@gmail.com
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top